Projeto do Centro de Eventos de Tangará é adotado pelo Estado como modelo

Obras do complexo serão licitadas e executadas integralmente pelo Governo do Estado. Expectativa é de início das obras ainda este ano.

O projeto do Centro de Eventos desenvolvido pelo município de Tangará da Serra será modelo para as seis unidades que serão construídas pelo governo em Mato Grosso. O projeto foi desenvolvido pela equipe técnica da Secretaria Municipal de Planejamento (Seplan) em parceria com a Secretaria Municipal de Turismo (Setur).

O governo oficializou a adoção do projeto de Tangará como modelo no início deste mês, através da Secretaria de Estado de Desenvolvimento do Turismo (Sedtur). A primeira unidade a ser construída será justamente a de Tangará da Serra, cujas obras, orçadas em R$ 7 milhões, serão licitadas e executadas integralmente pelo governo. O edital do certame licitatório já está em elaboração e já poderá ser publicado nas próximas semanas.

Serão, ao todo, seis centros de eventos a serem construídos. Os outros cinco municípios contemplados são Barra do Garças, Chapada dos Guimarães, Primavera do Leste, Rondonópolis e Várzea Grande.
Segundo o secretário municipal de Turismo, Guilherme Schenkel, o município já providencia, através da Setur e com apoio da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semmea), o licenciamento da área disponibilizada pelo município, localizada ao lado do Parque de Exposições. “Nossa expectativa é de que a ordem de serviço seja assinada ainda este ano”, disse Schenkel.

COMPLEXO – O Centro de Eventos de Tangará da Serra terá 3.727 m² de área edificada, com capacidade para comportar até oito eventos simultâneos, ilhas de WC, cozinha, varanda de serviços, depósitos, dependência administrativa, área para carga e descarga e espaço para câmara fria. Haverá também uma área externa de 9.000 metros quadrados para eventos como o Carnaval e outros de grande porte. O estacionamento contará com cerca de 450 vagas.

Guilherme Schenkel esclarece que a tendência é que o complexo seja administrado por um convention bureau, espécie de autarquia formada por representantes do trade turístico e do poder público, que também seria responsável pela captação de eventos. “A idéia é que Tangará da Serra passe a ter eventos semanais e em todos os finais de semana”, considerou.

Schenkel destacou, ainda, que a estrutura do Centro de Eventos representará uma movimentação extra para o município, resultando em aquecimento dos setores de turismo e serviços, além dos reflexos no comércio local. A localização privilegiada proporcionará facilidade de manobras e de acesso para quem vem da região de Campo Novo do Parecis e Sapezal (MT-358), de Diamantino (MT-480), e também de Cuiabá, pelo anel viário. “Teremos um amplo espaço, sofisticado, bem localizado, sem problemas com som e com opções de deslocamento rápido”, concluiu o titular da Setur.

Fonte: Assessoria SETUR

GGI se reúne para discutir violência no trânsito tangaraense

Na manhã do último dia 13, os membros do Gabinete de Gestão Integrada (GGI) reuniram-se no auditório da Promotoria para sua reunião ordinária mensal. O tema da discussão: o aumento dos acidentes de trânsito em Tangará da Serra e as ações para conscientizar a população a obter um trânsito mais seguro. Na reunião, estiveram presentes representantes das polícias Civil e Militar, dos poderes Executivo e Legislativo, da Promotoria e da Ciretran.

A pauta foi comandada pela promotora Marcelli Rodrigues da Costa Faria, que chamou a atenção para o comportamento do pedestre ao atravessar nas faixas. “Muitas vezes, vemos os pedestres atravessando sem sinalizar que vai atravessar, pessoas atravessando montadas em bicicletas ou que de repente vão para a faixa e, às vezes, o condutor não tem tempo de parar, o que pode ocasionar eventualmente acidentes”, atentou a promotora, pedindo uma campanha educativa também para pedestres.

De acordo com a 22ª Ciretran, Tangará possui uma frota de 45 mil veículos, sendo mais da metade destes motocicletas. Em 2010, Tangará possuía 40 mil veículos, ou seja, o aumento da frota em dois anos foi de 12,5%. Esse aumento também está refletido na quantidade de acidentes. O capitão PM Edylson fez um mapa estatístico das ocorrências de trânsito entre 2010 e 2012.

Em 2010, índice foi alto, 1.410 acidentes. Em 2011 esse número caiu para 1.159. Já em 2012, até o final de maio, foram registrados 634 acidentes; destacando que não estão inclusos os acidentes desta primeira quinzena de junho, cerca de duas dezenas, sendo um com vítima fatal e outro com vítimas em estado grave, nos dois últimos finais de semana.

Desta estatística, a maioria dos acidentes são de abalroamento, cerca de 25 a 30% em cada ano. Em segundo lugar vem a lesão corporal causada por acidente de trânsito, com 17 a 20% dos casos. Ainda, de 2010 até maio deste ano, foram quase 200 ocorrências tipificadas como embriaguez ao volante, sendo que os acidentes causados por est motivo não estão relacionados como tal.

PONTOS CRÍTICOS – O capitão ainda relacionou os pontos onde ocorrem a maioria dos acidentes em Tangará, tendo como ponta a Avenida Brasil. Na sequência vêm a Ismael José do Nascimento, a MT-358 e a Tancredo Neves. Como forma de diminuir os números desta estatística, além de uma campanha ostensiva de reeducação para o trânsito, o GGI discutiu a manutenção das faixas de pedestres, a colocação de fiscalização eletrônica (pardais) em pelo menos três desses logradouros de maior fluxo de veículos e ocorrências de trânsito e a sinalização dessas vias. A ciclovia nestes locais também foi debatida. “Pela nossa experiência, a maioria dos acidentes é responsabilidade do condutor. Esses acidentes de trânsito são um reflexo do que o condutor ´em sua vida como um todo. Se há uma falta de educação para o trânsito, há o mesmo na vida m geral”, asseverou o capitão Edylson quanto à urgência de campanhas educativas.

Dentro deste contexto, o GGI montará um pedido de projeto que contemple todas as sugestões. O primeiro passo na questão da campanha educativa para o trânsito será uma audiência pública, que já deve acontecer na semana que vem, para discutir junto com a população estes números e possíveis soluções, além de já iniciar a campanha educativa para o trânsito. Devem ser feitas cartilhas a serem entregues em escolas e a condutores, onde a realidade do trânsito tangaraense será amplamente trabalhada. Ainda, foi solicitado à prefeitura, a contratação de mais guardas municipais, onde os aprovados e classificados no concurso público passado devem ser chamados, observando-se as particularidades de um ano eleitoral.

Desta forma, o resumo da reunião em que a maior preocupação foi a segurança do tangaraense no trânsito é mais fiscalização, mais sinalização e mais educação chamando a atenção para a responsabilidade de pedestres e condutores pelas próprias vidas e um pela do outro.

ONTEM – Até as 18h30 de ontem, a polícia registrou mais três acidentes, sendo dois na Av. Brasil e um no pátio de um frigorífico. O primeiro, às 11h10, nos altos da Brasil, entre duas motos que colidiram ocasionando ferimentos leves em um dos condutores; ele foi encaminhado à UMS pelo Samu. Mais tarde, ás 16h, próximo ao local do primeiro acidente, houve a colisão de m Corsa sedan e uma Honda Biz 125, ocasionando perdas materiais. No acidente que ocorreu na rampa de lavagem de veículos no frigorífico, um dos veículos perdeu o freio, descendo a rampa em ré. O condutor do outro veículo que aguardava na fila e estava no interior deste teve ferimentos no tórax e na perna e foi encaminhado pelo Samu à UMS. São mais três acidentes em um só dia, aumentando as estatísticas deste ano.

Fonte: Luciana Menoli - Redação DS