Ministério da Saúde lança Campanha de Amamentação

A campanha visa incentivar a amamentação materna exclusiva até os seis meses de vida, contribuindo para o desenvolvimento e proteção da criança

Com o slogan Amamentação é a Base da Vida, a nova campanha de aleitamento, lançada nesta sexta-feira (27), em alusão à Semana Mundial da Amamentação (1° a 7 de agosto), reforça a importância do leite materno para o desenvolvimento das crianças até dois anos e exclusivo até os seis meses de vida, orientação preconizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Além de reduzir em 13% a mortalidade por causas evitáveis em crianças menores de cinco anos, a amamentação materna também reduz casos de diarreia, infecções respiratórias, hipertensão, colesterol alto, diabetes e obesidade.

Para o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, é preciso incentivar a amamentação assim como a doação de leite também. “Quanto mais tempo as crianças são amamentadas, mais elas adquirem resistência às doenças. A mulher que amamenta tem benefícios para sua saúde. Peço que as mães além de amamentar, que também doe leite, que é fundamental para crianças que necessitam de leite materno. Estamos trabalhando para ampliar o número de salas de amamentação nas empresas e dentro dos nossos serviços de saúde”, destacou o ministro.

Entre as principais dificuldades para a amamentação exclusiva, atualmente, estão o posicionamento incorreto, insegurança quanto à quantidade de leite produzido, introdução de chupetas e mamadeiras, falta de apoio da família e retorno ao trabalho. Por este motivo, a campanha é um importante instrumento para sensibilizar a sociedade quanto aos benefícios do leite materno no desenvolvimento saudável da criança. Segundo OMS e UNICEF, cerca de seis milhões de crianças são salvas a cada ano com o aumento de taxas da amamentação exclusiva até o sexto mês de vida. 

A atriz Sheron Menezzes e o seu marido Saulo Bernard são os padrinhos da campanha, que reforça a importância do leite materno para o desenvolvimento e a proteção da criança até os dois primeiros anos de vida ou mais. “Amamentação é um assunto que precisa ser levado muito a sério. Eu amamentei até o sexto mês de forma exclusiva e pretendo continuar até os dois anos. A mulher não precisa ter vergonha de amamentar, pois além de ser importante para a formação do bebê é um ato de amor”, reforçou Sheron Menezzes.
Itens relacionados

O Brasil tem o tema do aleitamento materno como uma agenda prioritária, investe em ações de saúde pública para garantir uma melhor assistência às mães e bebês, inclusive na regulamentação de leis que promovem e protegem o aleitamento materno contra o marketing abusivo de produtos que interferem na amamentação. Uma das principais iniciativas do Ministério da Saúde é incentivar empresas, públicas e privadas, a criarem salas de apoio à amamentação. Atualmente, o país possui 216 salas certificadas pelo Ministério da Saúde em todo o país, em instituições públicas e privadas, com capacidade de beneficiar cerca de 140 mil mulheres.

A ação surgiu em 2010, com o objetivo de apoiar a mulher que retorna da licença-maternidade e deseja continuar amamentando o filho. As Salas de Apoio à Amamentação são locais simples e de baixo custo para as empresas, onde a mulher pode retirar o leite durante a jornada de trabalho e armazená-lo corretamente para que ao final do expediente possa levá-lo para casa e oferece-lo ao bebê.

O representante da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS) no Brasil, Joaquín Molina, ressaltou a importância dos países envolvidos na Semana Mundial de Amamentação incentivarem o aleitamento materno. “O leite materno é um recurso natural capaz de preservar e melhorar a saúde, combater a pobreza e as desigualdades, melhorar a produtividade no trabalho, empoderar as mulheres e proteger a biodiversidade. Funciona como a primeira vacina de um bebê e dá a ele todo o alimento que precisa. A OPAS reafirma o seu apoio ao Brasil no enfrentamento das barreiras que dificultam o livre acesso às medidas de proteção e garantia ao aleitamento materno adequado”.

LICENÇA-PATERNIDADE

Em 2017, o Ministério da Saúde lançou documento para orientar pais e empresas sobre o benefício da licença-paternidade estendida. Pelo novo Marco Legal da Primeira Infância (Lei nº 13.257/2016), os pais podem prorrogar de cinco para 20 dias o período de licença. A partir do documento elaborado pelo Ministério da Saúde, para que as empresas, dentro do Programa Empresa Cidadã, concedam o benefício. Os pais podem entregar os seguintes comprovantes: declaração do profissional de saúde informando a participação do pai no pré-natal, em atividades educativas durante a gestação ou visita à maternidade.

HOSPITAL AMIGO DA CRIANÇA

A iniciativa tem como objetivo diminuir a mortalidade infantil por meio do estímulo à prática da amamentação, além de mobilizar e capacitar profissionais de saúde na atenção ao aleitamento materno, buscando evitar o desmame precoce. Atualmente, o país possui 324 hospitais Amigos da Criança.

No Brasil, 67,7% das crianças mamam na primeira hora de vida e a duração média do aleitamento exclusivo é de 54 dias. Aproximadamente 41% das crianças menores de seis meses tiveram alimentação exclusivamente por leito materno no país.

Por Nicole Beraldo, da Agência Saúde

Grupo Flor Ribeirinha se destaca em Intercâmbio Cultural

O intercâmbio cultural com as delegações de vários países, é o que vem ocorrendo com o grupo Flor Ribeirinha de São Gonçalo beira rio, durante a sua participação no 30º Festival internacional de Folclore de Martigues, há 800 quilômetros de Paris, um dos mais importantes festivais de arte e cultura da França.

Durante o evento, além das apresentações em palco, o grupo pratica uma série de ensaios e atividades no local do evento e também em outros pontos da cidade.

Na quinta-feira, 26, o Flor Ribeirinha apresentou com outros grupos na praça Mirabeau, para a população da cidade, o seu histórico, figurinos, instrumentos e uma parte de cada quadro do espetáculo ‘Mato Grosso Dançando o Brasil’.

O diretor administrativo do grupo, Jeferson Guimarães Rosa, ressaltou que o verdadeiro sentido do festival é o intercâmbio que ocorre entre os músicos, dançarinos, coordenadores e outros participantes de cada grupo. Ele explicou que é o momento de troca de experiências, diante das diferenças de culturas e idiomas.

“Nós cultivamos a nossa música e a nossa arte. Apresentamos aqui o que o nosso país e o nosso estado tem de bom, eles também. Estamos sempre presentes nos concertos, nas siestas, ministramos as oficinas de siriri, samba e de artesanato em cerâmica. Todos ficaram encantados com o Brasil”, observou.

Em Martigues, através do intercâmbio, muitas famílias francesas receberam os dançarinos músicos e demais integrantes dos grupos de cada país.

O dançarino do Flor Ribeirinha, Francismar Petini, disse que a acolhida nas residências foi de forma genuína, uma prática que vem ocorrendo na cidade, que realiza o festival há 30 anos. “Vivenciamos aqui novas experiências com a cultura francesa”, disse ele. 

O intercambio proporcionou o conhecimento e a possibilidade de fazer novos amigos, disse a dançarina Mariana Laura. Ela enalteceu ainda a importância da convivência.

Fonte: Mídia News

OAB de Tangará da Serra apoia blitz contra cobrança ilegal

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) executou nesta sexta-feira, 27, a segunda edição do “ato contra a cobrança ilegal pelo despacho de bagagens”. Todas as 27 seccionais da Ordem nos Estados enviaram advogados da Comissão Especial de Defesa do Consumidor aos principais aeroportos com a finalidade de esclarecer os passageiros sobre os direitos que estão sendo violados pelas empresas aéreas e com aval da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Embora a população de Tangará da Serra esteja longe de um aeroporto de grande porte, os munícipes que precisam dos serviços aéreos também acabam saindo lesados diante da cobrança estabelecida. Diante disso, a 10ª Subseção da OAB de Tangará da Serra apoia veementemente a ação realizada em todo o Brasil.

“A OAB é contrária a essa cobrança e está agindo tanto com blits nos aeroportos como através de meios judiciais, buscando derrubar essa autorização”, comentou o presidente da OAB de Tangará da Serra, Kleiton Carvalho, ao lembrar que no ano passado a OAB Federal juntamente com a Associação dos Procons e ministério Público já haviam se manifestado contrários a cobrança através da impetração de uma ação.

“Aos nossos olhos, essa autorização fere o direito do consumidor diante do alto valor cobrado pelas passagens e diminuição da qualidade com relação a voos, poltronas e alimentação. Isso gera mais um ônus para o cidadão”, relatou o presidente. “Mais uma vez a OAB está do lado do cidadão, defendendo seus direitos”, concluiu.

No ano passado, as principais companhias aéreas que operam no aeroporto foram notificadas por não atenderem às necessidades dos usuários de transporte aéreo em relação às regras da Anac.

Fonte: Rodrigo Soares - Redação DS