Festival do Sorvete reúne centenas de crianças em uma doçura de tarde

O evento já acontece há 22 anos e tem por objetivo levar um dia diferente às crianças

Nem mesmo a inesperada chuva que caiu sobre Tangará da Sera na tarde de ontem foi capaz de atrapalhar o Festival do Sorvete realizado na Vila Olímpica Rei Pelé em frente ao ginásio de esportes Douglas Poyane. A festa começou às 14 horas e contou com a presença de famílias inteiras que foram acompanhar os filhos que ganharam as tacinhas que davam direito a sorvete da melhor qualidade.

O evento já acontece há 22 anos e tem por objetivo levar um dia diferente às crianças, uma vez que outubro é o mês em que se comemora o Dia da Crianças. “Esse é o vigésimo segundo evento da Casa da amizade e tem por objetivo comemorar o dia das crianças, quando a gente aproveita o mês de outubro e deixa todos os eventos passarem e encerramos assim, como muita doçura e alegria. Fechamos com chave de ouro”, informou a presidente da Casa da Amizade- Associação de Senhoras de Rotarianos (ASR), Josenilda Aves dos Santos Bernardi.

De acordo com Josenilda, a festa somente acontece, graças a colaboração de vários parceiros que contribuem para a aquisição das taças, que depois são distribuídas nas escolas. “Esse ano fizemos 5.500 taças e contamos com a parceria grande do comércio e dos profissionais liberais que nos ajudaram demais”, pontuou.

Sicredi realizou Trilha da Cooperação no domingo

Evento contou com participação de 50 ciclistas

O Sicredi Sudoeste realizou no último domingo, 29, a primeira edição da Trilha da Cooperação em Tangará da Serra. 50 participantes largaram da agência da cooperativa localizada na Avenida Tancredo Neves às 06h30 da manhã e percorreram 40 quilômetros, passando por propriedades rurais de associados da empresa. De acordo com Keila Volkmer, assessora de comunicação e marketing do Sicredi Sudoeste, a experiência foi positiva e proveitosa para o grupo de ciclistas e os 15 colaboradores que atuaram na equipe de apoio. “Foi bem bacana. Fizemos algumas paradas onde os ciclistas puderam conhecer um pouco dos associados falando sobre a produção deles. 

Produções de água de coco, queijo, mamão, então eles puderam provar dessas produções e conhecer um pouco do ciclo de cooperação”, explica, ao pontuar que os produtores rurais captam recursos com a cooperativa e investem na região. O grande objetivo do evento foi despertar nos participantes o entendimento do conceito do cooperativismo. Keila relata que o trajeto foi pensado justamente para que cada um pudesse ajudar ao outro em determinados momentos. “Colocamos palavras espalhadas no trajeto, que são os valores do cooperativismo e nessas paradas, eles pegavam as palavras para depois formarem as frases. Saíram depoimentos bem legais de como colaborar. Teve gente até que a bicicleta quebrou e teve que ser ajudada para poder continuar o trajeto.