Na busca da igualdade, mulheres lutam por mais representação no Parlamento

Cristina Roberto *

A realidade é constrangedora: de acordo com pesquisa “Estatísticas de gênero – Indicadores sociais das mulheres no Brasil”, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em março deste ano, o Brasil é o país da América do Sul com menor presença feminina na Câmara dos Deputados. Ocupamos 10,5% das 513 cadeiras e estamos na 152ª posição, entre 190 nações pesquisadas, no ranking mundial da participação das mulheres na política.

Nossa representação é nada menos do que a metade da representação feminina na Arábia Saudita (20,3%), país onde a mulher conquistou o direito de dirigir recentemente e ainda usa véu e burca! Estamos atrás, muito atrás de Ruanda, país com maior representação de mulheres no Parlamento com 61,3%, do segundo lugar, a Bolívia (53,1%) e de Cuba (48,9%), o terceiro colocado no ranking.

O mais grave, contudo, é que a sub-representação da mulher no parlamento brasileiro é apenas o reflexo das dificuldades enfrentadas pelas mulheres ao disputarem espaços de poder. A mesma pesquisa do IBGE constatou que nos lares brasileiros as mulheres dedicam 18,1 horas semanais aos cuidados de pessoas ou afazeres domésticos – cerca de 73% a mais de horas do que os homens. Não bastasse isso, ganhamos em média três quartos do salário dos homens, mesmo que tenhamos escolaridade superior à dos homens.No Brasil as mulheres representam 51% da população e 52% do eleitorado, mas esse percentual não é o mesmo encontrado nos espaços legislativos e de poder: além da ínfima representação na Câmara Federal as mulheres ocupam menos de 10% nas assembleias legislativas, 16% no senado e 12% nas câmaras municipais. São apenas 628 prefeitas e nenhuma governadora.

Não é fácil conciliar dupla ou até tripla jornada de trabalho, vida pessoal e familiar com ação política. No Brasil, atuar em qualquer esfera de mando é muito difícil para qualquer mulher, a organização da sociedade não dá suporte e não raro elas abdicam de suas aspirações em prol da vida familiar. Criadoras da vida e cuidadoras que somos, assumimos uma tarefa que devia ser coletiva, de homens e mulheres e do Estado brasileiro.

Mesmo com tantas dificuldades a cada dia mais mulheres adentram no universo político, porque percebem que se não fizerem isso estarão sempre sub-representadas na elaboração das leis que podem ajudar a mudar essa realidade de desigualdades. Se mais da metade da população brasileira é formada por mulheres, está mais do que na hora de ocuparmos representação correspondente no Parlamento. A cota mínima de 30% de mulheres entre os candidatos está sendo superada em muitos partidos – no caso do PT, por exemplo, das 16 candidaturas pré-aprovadas para disputarem a Câmara Federal, sete são de mulheres.

Mas é preciso dotar as instituições de mecanismos que permitam que a mulher possa exercer plenamente sua cidadania, participando em igualdade de condições nas disputas eletivas. Mais creches, políticas de apoio às mulheres trabalhadoras, o combate à segregação de gênero no meio profissional são ações que cabem ao Estado promover e que com certeza impactariam no número de mulheres dispostas a enfrentar os desafios de uma candidatura.

Neste momento em que a humanidade carece como nunca de mais solidariedade, harmonia, tolerância e respeito, é ainda mais necessária a visão feminina na tomada de decisões públicas. É preciso que a sociedade incentive, apoie e, claro, vote nas mulheres para os cargos eletivos. Para que mais mulheres possam mostrar sua força nas urnas, mais igualdade em toda a sociedade, é essa a simples equação.

* Cristina Roberto, cozinheira, empreendedora e ativista cultural, é defensora da alimentação segura e saudável - Congresso em Foco.

IFMT lança edital de 2.860 vagas para cursos técnicos integrados ao Ensino Médio

Foi lançado na última segunda-feira (23), o edital que trata do processo seletivo dos cursos técnicos integrados ao Ensino Médio da Educação Profissional Tecnológica do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), com ingresso no primeiro semestre do ano letivo de 2019. Serão ofertadas 2.860 vagas, em mais de 15 municípios.

As inscrições estarão abertas no período de 30 de julho a 22 de outubro de 2018, no endereço eletrônico do IFMT. O candidato deverá preencher, eletrônica e corretamente, todos os itens do formulário de inscrição e do questionário socioeconômico. O questionário tem por objetivo a obtenção do perfil dos candidatos inscritos, a fim de subsidiar as políticas institucionais do IFMT e não terá interferência na classificação dos concorrentes. Após preencher o questionário eletrônico, o candidato deverá imprimir o boleto bancário e pagar a taxa de R$ 50,00 até o dia 23 de outubro de 2018.

Caso o candidato cometa algum erro ao preencher o cadastro, poderá solicitar a correção dos dados até as 16h, do dia 31 de outubro (quarta-feira), através do preenchimento do formulário e de documento comprobatório a ser enviado para o Departamento de Políticas de Ingresso, pelo endereço eletrônico proen.dpi@ifmt.edu.br.

No ato do preenchimento do formulário de inscrição, é necessário ter em mãos o número do CPF, e da cédula de identidade ou documento equivalente, oficial, com foto de validade nacional.

No dia 05 de novembro de 2018, o IFMT disponibilizará para os candidatos a confirmação de inscrição, contendo o nome do candidato, o número da inscrição, o curso pretendido, o turno e o local de realização da prova, no endereço eletrônico.

As provas para os cursos Técnicos Integrados ao Ensino Médio serão realizadas no dia 25 de novembro (domingo) das 14 às 17 horas. O Processo Seletivo Classificatório 2019/1 constará de 40 questões objetivas, sendo 20 de Língua Portuguesa e 20 de Matemática. Cada questão terá 5 alternativas, sendo uma única correta. Cada questão valerá 1,0 ponto e abrangerá conteúdos programáticos pertinentes ao ensino fundamental (do 1º ao 8/9º anos).

O resultado do Processo Seletivo será classificatório/eliminatório e as chamadas obedecerão à ordem decrescente de classificação, ou seja, da maior nota para a menor de acordo com a modalidade (cotas ou ampla concorrência) pela qual o candidato optou no ato da inscrição.

O gabarito da prova objetiva será divulgado até as 12 horas do dia 26 de novembro de 2018, no site do IFMT. No dia 21 de dezembro de 2018, até as 12 horas, serão divulgadas dez listas, sendo uma dos candidatos da listagem geral que foram aprovados e os excedentes no processo seletivo 2019/1; e nas outras nove listas constarão os nomes dos candidatos aprovados e os excedentes que se inscreveram como cotistas (reserva de vagas), por curso e turno.

Após a publicação do resultado oficial, o Departamento de Políticas de Ingresso disponibilizará para os diretores de Ensino dos Campi ofertantes das vagas a relação dos candidatos aprovados, classificados (excedentes), desclassificados e eliminados, para que a Direção de Ensino proceda às matrículas.

A matrícula deverá ser efetuada na Secretaria Geral de Documentação Escolar dos Campi do IFMT, pelo candidato, pessoalmente. Se o candidato for menor de 18 anos, a matrícula deverá ser efetuada pelo responsável legal ou por seu mandatário com procuração simples (com firma reconhecida em cartório), munido de Documento de Identificação.

As matrículas da 1ª chamada (Aprovados) serão realizadas de 07 a 11 de janeiro de 2019 das 8h às 11h e das 13h às 17h. Se houver vagas não preenchidas e candidatos classificados, após a matrícula da 1ª chamada, para qualquer uma das dez listagens, o diretor de Ensino do Campus IFMT ofertante das vagas, encaminhará para o e-mail institucional lista.processoseletivo@ifmt.edu.br o nome dos candidatos matriculados de cada curso/turno, para que seja elaborada e publicada a relação dos classificados para a 2ª chamada e as chamadas subsequentes, se houver. O início das aulas será estabelecido conforme calendário de cada Campus ou Campus Avançado, a ser divulgado na data da matrícula.

As vagas estão distribuídas nos seguintes campi: Alta Floresta, Campus Alta Floresta – Centro de Referência de Paranaíta, Barra do Garças, Cáceres – Professor Olegário Baldo/MT, Campo Novo do Parecis, Cuiabá – Bela Vista, Cuiabá – Cel. Octayde Jorge da Silva, Confresa, Juína, Pontes e Lacerda – Fronteira Oeste, Primavera do Leste, Dom Aquino, Rondonópolis, São Vicente, Campus São Vicente – Centro de Referência de Jaciara, Sorriso, Várzea Grande e nos Campi Avançados Alta Floresta, Lucas do Rio Verde, Sinop, Tangará da Serra, Diamantino e Guarantã do Norte.

Fonte: Vitória Lopes - Redação Olhar Direto

Vendas para o Dia dos Pais devem crescer

A primeira data comemorativa do segundo semestre, o Dia dos Pais, que será celebrado neste domingo, dia 12 de agosto, é esperada com expectativa tanto pelos pais, que serão lembrados e presenteados, quanto pelos lojistas que acreditam num acréscimo considerável no resultado das vendas.

Com o dia especial se aproximando, o comércio varejista de Tangará da Serra já começa a apresentar resultados mais positivos, e a tendência é que esse desempenho aumente ainda mais nos próximos dias.

De acordo o presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), Alessandro Paredão, a estimativa é que as vendas aumentem 10% em relação ao ano passado.

“Nossas expectativas são sempre as melhores. Qualquer lembrança que o pai receber, será muito importante para a celebração com alegria, fraternidade e companheirismo”, relatou Paredão, ao destacar que o comércio abrirá suas portas em horário especial no próximo sábado, dia 11, funcionando das 8h às 18h, sendo mais um atrativo para os consumidores que não tem tempo sobrando durante a semana.

“Será uma oportunidade a mais para os filhos e filhas se programarem, pois terão um tempo ainda maior para escolherem aquele presente que tenho certeza que vai alegrar muito o pai”, disse o presidente da CDL.

Segundo o administrador da Associação Comercial e Empresarial de Tangará da Serra (Acits), Jorge Nazzari, os comerciantes já estão preparados e cheios de novidades para receberem os consumidores.

“A gente percebe que as promoções têm sido muito frequentes, com as lojas cheias de artigos personalizados voltados para o segmento masculino. As empresas estão se empenhando para as pessoas se sentirem mais incentivadas a comprar”, afirmou o administrador.

Fonte: Rodrigo Soares - Redação DS

Nova empresa de transporte coletivo pode começar a operar em setembro

A Vandex Táxi Lotação Eireli, que recentemente venceu a licitação realizada pelo Executivo Municipal de Tangará da Serra, poderá iniciar as atividades do transporte coletivo já no próximo mês. A possibilidade pode se concretizar caso a documentação que será apresentada para o Município seja aprovada, fazendo com que os usuários finalmente possam usufruir de um serviço de maior qualidade. De acordo com o Superintendente de Transportes Aéreos e Viários (Sutrav), Cássio Lorenzetti, após vencer a licitação a empresa já providenciou o contrato assinado com o Município.

“Agora estamos esperando eles (a empresa) apresentarem as documentações dos veículos. Apresentando e nós aprovando, dentro de 30 dias começam a operar no transporte coletivo de nossa cidade”, relatou o coordenador, ao destacar que a Vandex tem até a próxima semana para providenciar a devida documentação da frota.

“O serviço da transporte coletivo irá melhorar significativamente, pois vai trocar toda frota. Contaremos inclusive com acessibilidade, então irá melhorar muito”, comentou Cássio.

Conforme o edital de licitação vencido pela Vandex, o valor da tarifa cobrada será de R$ 3,85 por passagem.

O critério para a escolha da empresa vencedora foi o menor valor da tarifa cobrada dos usuários dos ônibus, além de atender as especificações técnicas exigidas no certame. “Os veículos deverão ser equipados com elevador hidráulico para atendimento aos usuários com deficiência ou mobilidade reduzida”, cita um trecho do edital, informando que a frota inicialmente prevista é de no mínimo 10 veículos coletivos, já portando a nova padronização visual aprovada pelo Município de Tangará da Serra. “Os veículos passarão pelos quatro cantos da cidade”, garantiu o coordenador do Sutrav.

Fonte: Rodrigo Soares - Redação DS

Interact inicia Campanha para arrecadação de livros

O Interact Club de Tangará da Serra quer montar na Casa Transitória da Criança uma biblioteca e brinquedoteca – um espaço preparado para estimular a criança a brincar, dentro de um ambiente apropriado e lúdico. Para isso, o clube iniciou uma campanha para arrecadação de livros infantis e infanto-juvenis e brinquedos didáticos.

De acordo com a presidente do clube, Júlia Muller Geraldo, a instituição tem uma pequena biblioteca e a intenção é reformar o local, com novas prateleiras e livros, assim como transformar o local em uma brinquedoteca. “Vamos construir uma biblioteca na Casa da Criança para incentivá-los a leitura, desde pequenos”, confirma a presidente. 

“E daremos início a campanha de arrecadação neste sábado, dia 11 de agosto, com um mutirão no bairro Tarumã”, adianta a presidente, ao explicar que os associados se encontrarão na Vila Olímpica, a partir das 16h, local de onde sairão de casa em casa, pedindo as doações de livros. 

Além dos livros e brinquedos didáticos, o clube de jovens local está buscando também doações de materiais para a reforma do espaço, como tinta, móveis (armários e mesinhas) ou mesmo em dinheiro. “Também receberemos doações de materiais escolares, como tinta, caderno, lápis de cor e outros para serem usados na biblioteca”.

Aqueles que quiserem contribuir, podem entrar em contato com os associados do clube ou então pelo telefone 65 99926-1886 (Júlia Muller). No decorrer no mês os associados continuarão com esse projeto, na busca de doações.

Para facilitar o trabalho dos jovens, aqueles que tiverem em casa livros para doação, já podem deixá-los separados e, caso sua casa não seja visitada, mas você tenha livros ou brinquedos didáticos para doação, entre em contato, que eles irão buscar. 

Fonte: Fabiola Tormes - Redação DS

Tangaraense leu mais de 5 mil livros

Foto: Humberto Ferreira
O odontólogo aposentado Moacyr Garcia Bicho já leu mais de 5 mil livros. Paulista, Moacy é tangaraense de coração. Chegou aqui em 1986, para pescar, e nunca mais foi embora. Trouxe a família e montou seu consultório. Trabalhou muito, mas nunca abandonou sua grande paixão pelos livros – paixão que começou aos 14 anos, quando ganhou de seu pai o livro “Reminiscências”, do escritor Humberto de Campos.

“Gostei tanto que nunca mais parei de ler. Meu pai me deu de presente não apenas um livro, mas um amor, pelo conhecimento, pelas experiências que só através dos livros conseguimos experimentar. Aquele novo mundo, que se abriu para mim, me tocou de tal maneira que eu ainda adolescente passei a garimpar os tesouros que se achavam nas obras”, relata.

Dono de uma vasta biblioteca, com livros de temas diversos, pois é eclético. Em Tangará Moacyr também é velho conhecido de quem trabalha nas bibliotecas do Centro Cultura, Colégio 13 de Maio e 29 de Novembro. “Já fui chamado até de “rato de porões” das bibliotecas, lembra ele, divertindo-se com o apelido. 

LIVROS QUE MARCARAM

Moacyr Bicho tem uma lista dos livros que marcam sua vida. Entre eles, “Não posso me calar”, de Léon Tolstói; “De profundis”, Oscar Wilde; “Desmoronamento”, de Scott Fitzgerald; “A Fome”, de Knut; “Um homem acabado”, Giovani Papini; “Antes que o galo cante”, Césari Paresi; “Assim caminha a humanidade”, Edna Ferber; “A raça que irá nos suplantar”, Bolwer Lytton; “Antecipações”, H. G. Weis; “As estâncias”, Dzian; “Titã ou Futilidade” de Robert Robertson; “A Feia”, de Constant; “Cidadela”, Cronin; “O médico de alma e dos homens”, Lucas; “O poço da solidão”, Margareth R. Harr; “Maravilhosa graça”, de Philip Ians; “Crime e Castigo”, Dostoievski; “Guerra e Paz”, de Tolstói e “Pilhar de Ferro, história da vida de Cícero”, de Taylor Calweel.

Foto: Humberto Ferreira
PARA QUÊ LER

Moacyr explica que seria impossível para uma pessoa conhecer de outras maneiras, que não pela literatura, todas as possibilidades humanas. Num livro, justifica ele, é possível, por exemplo, encontrar uma história que abarque todas as fases de uma vida inteira e todos os problemas encontrados por uma pessoa, indicando seus erros e acertos.

Ele diz que um bom livro é capaz de transmitir com precisão situações que fazem parte da realidade, mesmo que seja uma obra de ficção. “ É possível que as situações contadas ali se repitam na sua própria vida e que, preparado pela experiência a que você teve acesso, você evite os erros e acerte mais. Neste sentido a literatura é uma grande conselheira”, afirma.

Fonte: Redação do Jornal Tangará