Tangará ultrapassa 100 mil habitantes, aponta IBGE

Tangará da Serra permanece como o quinto mais populoso do Estado

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nessa semana as estimativas das populações residentes nos 5.570 municípios brasileiros com data de referência em 1º de julho.

Dos municípios mato-grossenses, Tangará da Serra permanece como o quinto mais populoso, com estimativa de 101.764 habitantes, um crescimento de 2,97% levando em consideração que no ano passado o divulgado foi de 98.828 residentes.

Para o vice-prefeito Renato Gouveia, o crescimento comprova o histórico de cidade acolhedora e boa de se viver que leva o nome de Tangará da Serra. “Nossa cidade está se consolidando cada vez mais como polo regional nas áreas do comércio, saúde e educação. Com isso a tendência é crescer cada vez mais”, avaliou o vice-prefeito, destacando que a estimativa oficial comprova também outros dados de crescimento da cidade. “Nossa expectativa é que Tangará da Serra já passou desse número há algum tempo. Temos oficialmente 101.764 habitantes, mas somente de cartão de SUS, temos cerca de 108 mil daqui de nossa cidade”, relatou Gouveia.

Segundo o IBGE, São Paulo continua sendo o Município mais populoso do País, com 12,2 milhões de habitantes. Na sequência vem Rio de Janeiro (6,7 milhões de habitantes), Brasília e Salvador (cerca de 3,0 milhões de habitantes cada). Entre os municípios menos populosos estão Serra da Saudade (MG), com 786 habitantes, seguido de Borá (SP), com 836 habitantes, e Araguainha (MT), com 956 habitantes.

Mato Grosso é o segundo maior da região Centro Oeste em número de habitantes, chegando a 3,4 milhões de residentes. O Estado aparece atrás de Goiás, que tem população estimada em 6,9 milhões, e à frente de Mato Grosso do Sul, 2,7 milhões de habitantes, e do Distrito Federal, 2,9 milhões.

Fonte: Rodrigo Soares - Redação DS

Proposta estabelece diretrizes para política cultural

Tramita na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 9474/18, do deputado Chico D'Angelo (PT-RJ), que estabelece as diretrizes para a política cultural e para a garantia dos direitos culturais.

Entre os direitos culturais, o texto cita a liberdade de expressão da atividade intelectual, artística e científica; a difusão das manifestações culturais; e a salvaguarda do patrimônio cultural brasileiro e de proteção dos bens culturais.

A proposta coloca como princípios para a gestão da cultura a diversidade cultural; a igualdade de acesso a bens e serviços culturais; o respeito à propriedade cultural; entre outros.

É dever do Estado, segundo o projeto, garantir a todos o pleno exercício dos direitos culturais e o acesso às fontes da cultura nacional.

O texto também garante proteção à identidade cultural e étnica de povos indígenas, afro-brasileiros e outros grupos que ajudaram a formar a sociedade brasileira.

Para Chico D’Angelo, o conjunto de diretrizes e bases para a política cultural é uma “espinha dorsal que sustente, segure, incentive e oriente as ações de governo”.

Sistema nacional de cultura

O projeto cria o Sistema Nacional de Cultura para organizar a gestão pública da cultura. A organização é feita em regime de colaboração, de forma descentralizada e participativa. A colaboração prevê apoio técnico da União a estados e municípios e de cada estado a seus municípios.

A partir do sistema, o poder público deverá dar assistência técnica e financeira para garantir a criação e manutenção de locais e serviços públicos de cultural em estados e municípios de forma permanente, contínua e regular.

O sistema de cultura buscará implementar o plano plurianual da área, estabelecido por lei. O plano passará por avaliação anual, coordenado pelo Ministério da Cultura. Cada setor cultural, como audiovisual ou teatro, deverá ter um plano de duração de dez anos.

O Ministério da Cultura publicará anualmente um plano de metas e investimentos com percentuais de recursos a serem aplicados, divididos por áreas e setores.

Financiamento

O financiamento público da cultura virá das seguintes fontes:
- Fundo Nacional de Cultura (FNC);
- incentivo fiscal, doações e patrocínios de projeto cultural;
- Fundo de Investimento Cultural e Artístico (Ficart);
- vale-cultura; e 
- programas setoriais.

Tramitação 

A proposta tramita em caráter conclusivo e será analisada pelas comissões de Cultura; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

ÍNTEGRA DA PROPOSTA:

Fonte:Agência Câmara Notícias

Projeto garante ajuda de custo a paciente do SUS que se trata em outra cidade

Está pronto para votação no Plenário do Senado Federal o projeto que garante ajuda de custo para pacientes do SUS que necessitem de tratamento fora da cidade onde vivem. O PLS 264/2017, do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), prevê o pagamento para os gastos do paciente com alimentação, transporte e hospedagem.

O benefício valerá para deslocamentos superiores a 50 quilômetros. Para ter o direito garantido, é necessária indicação médica de tratamento em outra unidade mais distante e a autorização do gestor municipal ou estadual do SUS, aliada à garantia do atendimento na outra cidade. A ajuda só poderá ser paga após esgotados todos os meios de tratamento na cidade onde reside o paciente. Um acompanhante também poderá ter direito à ajuda, caso solicitado.

No entanto, antes de votar o projeto, os senadores devem analisar um requerimento (RQS 92/2018) apresentado por Sérgio Petecão (PSD-AC) que pode alterar a tramitação do texto. O senador solicita que a proposta seja analisada pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) antes de passar pelo Plenário.

A legislação do SUS já prevê ajuda de custo aos pacientes que precisem se deslocar para outro município para obter tratamento de saúde, por meio do Tratamento Fora de Domicílio (TFD), previsto na Portaria 55/1999 do Ministério da Saúde. Contudo, segundo Randolfe, o benefício previsto é muito restrito, não sofre reajuste desde sua criação e pode ser extinto a qualquer momento. Por esses motivos, ele deseja regulamentar e aprimorar o auxílio no âmbito da lei.
Custos e restituição

O projeto estabelece que os recursos para a cobertura dos custos do paciente venham da União e, se necessário, sejam complementados por fundos dos estados, do Distrito Federal e dos municípios. Os valores pagos pela União serão pactuados entre os gestores do SUS e padronizados nacionalmente. O valor do benefício será reajustado anualmente de acordo com a inflação.

Na avaliação do relator na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), senador Eduardo Amorim (PSDB–SE), a proposta traz “facilidades e apoio aos pacientes do SUS” e não aumenta “o escopo das obrigações do poder público quanto ao atual TFD”. Nesse sentido, as definições do projeto não implicariam aumento de despesas para a União.

O projeto também determina que pacientes e acompanhantes que não conseguirem o acesso à ajuda de custo em tempo de realizar o tratamento necessário terão direito à restituição de suas despesas, baseada nos valores fixados do benefício.

Fonte:Agência Senado

Municípios recebem a terceira parcela do FPM nesta quinta-feira (30)

O terceiro repasse do Fundo de Participação dos Municípios – FPM de agosto, que totaliza R$ 42,9 milhões, foi creditado na conta das prefeituras nesta quinta-feira (30). O montante é 11% maior que o transferido no mesmo período do ano passado, quando os municípios receberam R$ 38,5 milhões. O FPM é composto pelo Imposto de Renda e pelo Imposto sobre Produtos Industrializados, e repassado nos dias 10, 20 e 30 de cada mês, diretamente da Secretaria do Tesouro Nacional para as contas bancárias das prefeituras.

O presidente da AMM, Neurilan Fraga, ressaltou que o terceiro repasse do Fundo vai ajudar as prefeituras, principalmente as pequenas que tem o FPM como uma das principais fontes de recurso. Apesar de o cenário ser positivo, em relação ao acumulado do ano, ele faz um alerta aos gestores. “É preciso ter cautela ao gerir os recursos municipais nos meses seguintes, tendo em vista a oscilação da receita. Há uma preocupação com o final do ano, para quitar os compromissos com a folha de pagamento, fornecedores e outras despesas”, assinalou.

Os recursos do FPM no segundo semestre, historicamente são menores em relação ao primeiro semestre, o que torna necessário um planejamento financeiro para evitar surpresas negativas para a gestão. A Confederação Nacional de Municípios informou que o valor do repasse do FPM para todos os municípios brasileiros é de R$ 1.880.894.705,38, já descontada a retenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação. Em valores brutos, incluindo o Fundeb, o montante chega a R$ 2.351.118.381,73.

Dados da Secretaria do Tesouro Nacional mostram que houve um crescimento, em comparação com o mesmo decêndio de 2017, de 11,38% em termos nominais, ou seja, comparando os valores sem considerar os efeitos da inflação. Se deflacionado, ou seja, levando-se em conta a inflação do período, verifica-se um aumento de 6,80%.

Em relação ao acumulado do ano, o valor total do FPM vem apresentando um crescimento positivo. O total repassado aos Municípios no período de janeiro até o 3º decêndio de agosto deste ano cresceu 7,93% em termos nominais em relação ao mesmo período de 2017. Ao considerar a inflação, o aumento fica em 4,39%.

Fonte: Agência de Notícias da AMM / Agência CNM

Taxa de desemprego fica em 12,3% no trimestre até julho, diz IBGE

A taxa de desocupação no Brasil ficou em 12,3% no trimestre encerrado em julho, de acordo com os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados nesta quinta-feira, 30, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado ficou exatamente na mediana das expectativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que estimavam uma taxa de desemprego entre 11,9% e 12,5%.

Em igual período de 2017, a taxa de desemprego medida pela Pnad Contínua estava em 12,8%. No fechamento do segundo trimestre, o resultado ficou em 12,4%. No trimestre encerrado em abril, a taxa era de 12,9%.

A renda média real do trabalhador foi de R$ 2.205 no trimestre terminado em julho. O resultado representa alta de 0,8% em relação ao mesmo período do ano anterior.

A massa de renda real habitual paga aos ocupados somou R$ 197,2 bilhões no trimestre encerrado em julho, alta de 2,0% ante igual período do ano anterior.

Fonte: Estadão Conteúdo

Novos semáforos começar a funcionar nessa semana

Município inicia hoje testes nos novos semáforos

Os dois novos conjuntos semafóricos que começaram a ser instalados na semana passada devem começar a funcionar ainda nessa semana, efetivando as novidades no trânsito de Tangará da Serra. Essa é a previsão da Superintendência de Transporte Aéreos e Viários (Sutrav) do Município, que promoveu a fixação dos dois novos semáforos na Avenida Tancredo Neves, sendo um no cruzamento com a Rua Antônio Hortolani e outro com a Euclides Geraldo Medeiros.

De acordo com o superintendente da Sutrav, Cássio Lorenzetti, a previsão é que os sinaleiros comecem a ser testados ainda hoje.

“Vamos ligar os semáforos nesta quinta-feira para verificar se está tudo da forma esperada. Nossa previsão é que no sábado, os pontos semafóricos já estejam efetivamente funcionando”, comentou o responsável, destacando que as obras realizadas no cruzamento da Avenida Tancredo Neves com a Antônio Hortolani já se encerraram. “Já as obras da Tancredo com Euclides Geraldo Medeiros, a previsão é que as elas cheguem ao fim nesta quinta-feira”, informou Lorenzetti.

Conforme o Diário da Serra veiculou com exclusividade em edições anteriores, o investimento nos dois novos lotes semafóricos corresponde ao montante de R$ 136.959,44 advindo de recursos próprios.

Devido as novas instalações, o semáforo localizado em frente a Caixa Econômica foi removido, assim como os tachões que fazem o cruzamento da Avenida Tancredo Neves com a Antônio Hortolani.

“Uma das novidades que veio com a instalações desses dois pontos semafóricos, é que esses novos tem temporizadores”, informou Cássio.

Vale lembrar o Executivo Municipal programa a instalação de outros cinco pontos semafóricos em Tangará da Serra para o próximo mês, que serão distribuídos em frente a escolas localizadas na região central da cidade.

Fonte: Rodrigo Soares - Redação DS

Mega-Sena deve pagar hoje prêmio de R$ 40 milhões

Aplicado na poupança o prêmio renderia cerca de R$ 149 mil por mês

A Mega-Sena pode pagar hoje (29) um prêmio de R$ 40 milhões para quem acertar sozinho as seis dezenas do concurso 2.073.

O sorteio está marcado para as 20h (horário de Brasília) no Caminhão da Sorte, que está na cidade de São José do Cedro, em Santa Catarina.

Segundo a Caixa Econômica Federal, aplicado na poupança o prêmio renderia cerca de R$ 149 mil por mês.

As apostas podem ser feitas até as 19h (de Brasília) desta quarta-feira, em qualquer casa lotérica credenciada em todo o país. A aposta mínima custa R$ 3,50.

Lotofácil da Independência

Desde ontem (28), todas as apostas feitas na Lotofácil estão voltadas para o concurso especial da Independência, que promete pagar um prêmio de R$ 85 milhões.

Segundo a Caixa, o dinheiro do prêmio aplicado na poupança poderá render mensalmente aproximadamente R$ 315 mil.

O sorteio está marcado para o dia 8 de setembro, às 20h (horário de Brasília), e será realizado no Caminhão da Sorte, que estará na cidade catarinense de São Bento do Sul.

O preço da aposta simples, com 15 números, é de R$ 2.

Fonte: Redação Midia News

CNM reforça importância da participação dos municípios nas discussões sobre mudanças climáticas

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) defendeu a importância de os Municípios contribuírem nos debates sobre mudanças climáticas. A entidade participou, no dia 23 de agosto, de um evento - promovido pela WRI Brasil - para debater a Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC, sigla em inglês) ao Acordo de Paris apresentada pelo Brasil em 2015, parte do Programa de Mudanças Climáticas.

A CNM explica que o Acordo de Paris e a NDC brasileira são convenções que regem medidas de redução da emissão de dióxido de carbono - gás carbônico - a partir de 2020. Entre as principais metas da NDC brasileira está o compromisso do Brasil em reduzir as emissões de gás carbônico em 37% em relação às emissões de 2005. A data limite para isso é 2025, com indicativo de reduzir 43% das emissões até 2030.

A Confederação ressaltou no evento o fato de ser no território municipal que existem mais elementos que podem nortear o desenho e a implementação de políticas de mitigação das mudanças climáticas. A técnica da área de Saneamento da CNM, Priscila Alvares, destacou que, para desenvolver programas de relato de gases de efeito estufa fortes e eficazes para suas jurisdições, criando um recurso que facilite a tomada de decisão e leve a ação climática significativa e nacionalmente apropriada, é preciso escutar os Municípios, não apenas os Estados e a União.

O evento debateu também as iniciativas de Monitoramento, Reporte e Verificação (MRV) para o setor empresarial, uma pré-condição para o estabelecimento de sistema de precificação de carbono.

Participação do Brasil

A CNM lembra que, com o depósito do instrumento de ratificação do acordo pelo País, em setembro de 2016, a NDC do Brasil deixou de ser “pretendida”. O Brasil assumiu, pelo acordo, o qual entrou em vigor no plano internacional em 4 de novembro de 2016, o compromisso de implantar ações e medidas que apoiem o cumprimento das metas estabelecidas na NDC. Para fins de planejar a implantação e o financiamento dessas ações e medidas, o Ministério do Meio Ambiente articula a elaboração de uma Estratégia Nacional para a Implementação e o Financiamento da NDC do Brasil ao Acordo de Paris.

O MRV é uma medida de observação e controle da liberação de poluentes na atmosfera por parte de diversos segmentos da economia. O monitoramento é a realização de inventários de emissões de gases de efeito estufa. O reporte é a forma como esses inventários serão encaminhados para outras entidades, como o governo. E a verificação é o método pelo qual o governo analisará a veracidade das informações apresentadas.

Estratégia Nacional

A elaboração da Estratégia Nacional é articulada entre governos federal, estaduais e municipais, setores relevantes da economia e segmentos da sociedade, entidades representativas, organizações não-governamentais, movimentos sociais e demais grupos interessados, por meio do Fórum Brasileiro de Mudança do Clima.

Em 2017, o Ministério do Meio Ambiente (MMA) recebeu contribuições dos Estados do Pará, de Pernambuco, do Rio de Janeiro, de Santa Catarina e do Paraná, que agregaram informações relevantes para os setores prioritários definidos na NDC.

Fonte:Agência CNM

Empresa júnior poderá ser isenta do pagamento de tributo municipal

Os serviços prestados por empresa júnior poderão ser isentos do Imposto sobre Serviços (ISS), tributo cobrado pelos municípios. É o que determina o Projeto de Lei Complementar (PLP) 492/18, do deputado Otavio Leite (PSDB-RJ), em tramitação na Câmara.

O projeto altera a Lei do ISS (Lei Complementar 116/03). Previstas pela Lei 13.267/16, empresas juniores são associações civis sem fins lucrativos, formadas e geridas por alunos de um curso superior, e vinculadas às instituições de ensino superior públicas ou privadas. Atualmente essas empresas pagam o ISS sobre as receitas obtidas com prestação de serviços.

Para Otavio Leite, a isenção do tributo é uma forma de estimular estas empresas, que proporcionam um melhor desenvolvimento profissional aos estudantes e desempenham um papel importante na economia.

“Elas geram profissionais diferenciados à sociedade e oferecem serviços de qualidade por um custo abaixo do mercado, propiciando soluções acessíveis e a ajuda necessária para os desafios encontrados pelas microempresas”, diz o deputado.

Tramitação
O projeto será analisado pelas comissões de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Depois, seguirá para o Plenário da Câmara.

ÍNTEGRA DA PROPOSTA:
Fonte: Agência Câmara Notícias

Jornada do IFMT de Tangará inicia hoje

Evento acontecerá na sede do IFMT de Tangará

Com objetivo de fomentar o conhecimento científico, assim como intensificar o desenvolvimento de práticas e conhecimentos sobre a tecnologia, o Instituto Federal de Mato Grosso, campus avançado de Tangará da Serra inicia hoje, dia 29 de agosto, a 4ª Jornada de Ensino, Pesquisa e Extensão (JENPEX).

O evento, que seguirá até a próxima sexta-feira, 31, terá uma programação voltada para toda a comunidade, e deverá reunir além de estudantes e profissionais do IFMT de Tangará da Serra, participantes de outras instituições.

De acordo com o coordenador do Pesquisa e Extensão do IFMT e presidente da Jornada, durante os três dias de evento a população em geral poderá participar de várias palestras e minicursos.

“A nossa expectativa é trazer para o evento a comunidade interna e externa de toda a região. Muitos trabalhos serão apresentados, então desde já contamos com a presença da população, sendo que teremos representantes de todos os meios sociais debatendo temas relevantes”, comentou o presidente, ao destacar que as inscrições para os interessados participarem da programação podem ser feitas até hoje, 29, por meio do site http://jornada.tga.ifmt.edu.br.

PROGRAMAÇÃO - No primeiro dia da jornada, a atividade principal será a palestra ‘Você é bom em quê?!’, ministrada por William Domiciano. Na quinta-feira, 30, a programação contará com o início dos minicursaestras ‘Banco de Dados e Método Ágeis’ e ‘O Impacto dos APP’s Sociais em Nossas Vidas’, ministradas pelo Dr. Fernando Selleri e Me. Júlio César Gomes da Silva, respectivamente.

Na sexta-feira, 31, a programação será encerrada com apresentações de trabalhos e uma Mesa Redonda, que abordará a Educação Inclusiva.

Fonte: Rodrigo Soares - Redação DS

1ª Semana do Cavalo inicia na próxima semana

Iniciará na próxima segunda-feira, dia 03 de setembro,

Com foco em atividades esportivas voltadas para a aquisição de conhecimento aos produtores, o Sindicato Rural de Tangará da Serra iniciará na próxima segunda-feira, dia 03 de setembro, a 1ª Semana do Cavalo. A programação vem repleta de atrações em sua edição de estreia prometendo agradar a população em geral, principalmente aos amantes do hipismo.

De acordo com o presidente do Sindicato Rural, Reck Júnior, o evento já é tradicional em Cuiabá, sendo a primeira vez que as atividades acontecerão também em uma cidade do interior. “É justamente esse o nosso foco, desenvolver o papel do sindicato no que diz respeito a incentivar os profissionais do esporte na qualificação”, comentou o presidente, destacando que a intenção do Sindicato Rural também é propiciar à comunidade momentos de entretenimento e lazer, além de fomentar a economia da cidade.

“Vamos receber competidores e amantes do hipismo de todo o Mato Grosso e também de fora do Estado, que inclusive já confirmaram participação”, relatou o responsável. Durante toda a programação o Sindicato Rural disponibilizará tendas gastronômicas, e para animar o ambiente, shows com artistas regionais também já estão garantidos entre os seis dias de competição.

“Importante destacarmos que não será cobrado ingresso para entrada, então desde já convidamos a população de nossa cidade para participar das atividades e junto com amigos e familiares, terem momentos de descontração”, convidou Reck.

Além das provas de hipismo, a programação conta com cursos voltados aos produtores da área, e será encerrada com chave de ouro através da realização do 1º Leilão Tangará Festival. Os produtores interessados em participarem dos cursos, podem consultar os preços das inscrições junto a sede do Sindicato Rural.

Fonte: Rodrigo Soares - Redação DS

Novo Conselho do CMDCA foi empossado ontem

Novos membros farão trabalho voluntariamente

Tomaram posse na tarde de ontem, 27, os novos membros do Conselho Municipal de dos Direitos de Criança e do Adolescente.

Presente a solenidade, o prefeito Fábio Martins Junqueira falou da importância do conselho para o Município. “É um conselho muito importante porque ele é praticamente a instituição que define, que norteia as políticas públicas voltadas para as crianças e adolescentes, principalmente para aquelas crianças e adolescentes que vivem em situação de risco, ou seja, para evitar que elas sejam aviltadas no seus direitos, na sua formação, nas suas garantias’, destacou o gestou municipal.

Junqueira salientou ainda o desprendimento daqueles que se dispõem em participar do conselho. “É um mandato de dedicação, as pessoas que participam desse conselho são voluntárias, ainda que sejam servidores públicos”, pontuou.

Assim como Junqueira, a Juíza Leilamar Aparecida Rodrigues reforçou a importância do conselho. “Ele é um órgão fiscalizador, então é um conselho de suma importância para tudo que diz respeito a criança e adolescente”.

Fonte: Rosi Oliveira - Redação DS

Município vai encerrar serviços terceirizados

Prefeitura de Tangará da Serra

Realizando a contratação de serviços gerais de formas terceirizadas já há alguns anos, agora o Executivo Municipal de Tangará da Serra busca admitir os servidores para o setor de serviços gerais mediante teste seletivo.

“Antes era realizada licitação para contratação de empresas. Elas procediam com a contratação de pessoal para serviços gerais. Agora o próprio Município realiza processo seletivo e contrata os classificados”, explicou a secretária municipal de Administração, Maria das Graças Souto, destacando que o Executivo analisará a partir de então qual método é mais vantajoso na prestação do serviço.

“Antes a empresa vencedora da licitação ficava responsável pelas compras de materiais, fiscalização de serviços e gerenciamento de pessoal. Isso agora ficará a cargo do Município, teremos que ter um servidor para fazer essas tarefas”, relatou a responsável.

CONVOCAÇÃO - O Executivo Municipal de Tangará da Serra iniciou nesse mês a convocação dos aprovados no Processo Seletivo 02/2018 para serviços destinados aos setores da Saúde e da Educação. Até o momento, centenas de pessoas já foram convocadas. Segundo a secretária de Administração, Maria das Graças Souto, o Município encerra hoje, 28, o prazo para os classificados se apresentarem. “Na última sexta-feira lançamos o último edital de convocação do seletivo para serviços gerais. Agora vamos verificar se todos vão comparecer, ou não. Com isso, vamos verificar se ainda tem remanescentes do seletivo anterior. As vezes se todos não comparecerem, vamos convocar os próximos selecionados”, finalizou a secretária.

Fonte: Rodrigo Soares - Redação DS

Tangará atinge 92,03 por cento de cobertura vacinal

Campanha de Vacinação encerra nesta sexta-feira

Com pouco mais de 20 dias do início da Campanha Nacional de Vacinação contra a poliomielite e o sarampo, a Secretaria Municipal de Saúde de Tangará da Serra comemora os dados de cobertura vacinal no município. 

De acordo com dados divulgados pela Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica, até o final da tarde desta segunda-feira, 27, Tangará da Serra alcançou um percentual de 92,03% de cobertura vacinal, bem diferente da média nacional e Estadual, e ainda das maiores cidades de Mato Grosso.

Nacionalmente, a cobertura chegou a apenas 69,05%; Mato Grosso 67,20% e a Regional de Tangará da Serra, 82,39%. Já dos maiores municípios matogrossenses, a maior cobertura é de Sinop, com 76,68%, seguidos de Rondonópolis 70,30%, Várzea Grande 51,95% e Cuiabá, com 48,96%. 

Em Tangará da Serra o objetivo é vacinar, pelo menos, 95% das 5.495 crianças da faixa etária e diminuir a possibilidade de retorno da pólio e reemergência do sarampo, doenças já eliminadas no Brasil. 

A campanha está sendo realizada em todas as 18 Unidades de Saúde da Família até o final desta semana, 31 de agosto.

Fonte: Fabíola Tormes - Redação DS

Projeto de Lei “Campanha Aluno Consciente” foi aprovado em primeira votação

O Projeto de Lei nº 238/2017 de autoria do deputado Saturnino Masson (PSDB) institui a “Campanha Aluno Consciente”, nas escolas da rede estadual de ensino Mato Grosso. Tem como objetivo o desenvolvimento de projetos que possam chamar a atenção dos alunos para temas, como: bullying, pedofilia, drogas ilícitas e lícitas, rolezinhos, atos de vandalismo, racismo, preconceitos, inclusão de alunos com deficiência, e outros temas poderão ser adotados de acordo com a realidade de cada região.

O processo de conscientização dos temas expostos poderá ser realizado por diversos meios, deforma que o aluno seja participante ativo no processo, como o concurso de redação e cartazes, exibição de filmes, peças teatrais, palestras, debates, semana cultural, e também outras inciativas que podem ficar a critério do Núcleo Pedagógico.

”São cada vez mais comuns nas manchetes dos jornais os relatos de violência dentro e fora das escolas. Apesar de muitas dessas unidades e Diretorias de Ensino estarem atentas aos problemas em suas regiões, propondo debates, palestras e outras ações, é necessário que essa visão seja difundida e aplicada em todo a Rede Estadual de Ensino”, declarou Saturnino.

A proposta da “Campanha Aluno Consciente” é sistematizar este tipo de ação, levando todas as Diretorias de Ensino, em parceria com as escolas de sua região, atuarem de forma eficaz e eficiente para combater problemas em andamento e, o mais importante, prevenir que este se instale.

A escola é, por natureza, o espaço de todos. E, neste espaço, todos têm de ser acolhidos e se sentirem bem e aceitos, respeitando-se, acima de tudo, as diferenças. Trabalhos contínuos de conscientização permitirão que os conceitos de cidadania sejam disseminados e, o mais importante, aplicados no dia a dia pelos alunos.

Rosangela Milles/Assessoria de Imprensa de Gabinete

Aplicativo lançado pela OAB-MT é ferramenta para exercício do voto consciente, diz Lamachia

No Cidadão Fiscal, além da legislação eleitoral atualizada e compilada, há espaço para denúncias

Seguindo o lema “voto não tem preço, tem consequência”, a Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB-MT) lançou o aplicativo Cidadão Fiscal, uma ferramenta para smartphones que garante acesso à legislação eleitoral e permite que o usuário atue na fiscalização das campanhas eleitorais.

“Um aplicativo como este é uma ferramenta importantíssima. Deve ser hoje baixado em todos os telefones, devemos andar com ele no bolso para votarmos com consciência e responsabilidade, porque voto não tem preço; voto tem consequência e a consequência de uma escolha mal feita é exatamente essa crise ética e moral sem precedentes que estamos vendo aí”, declarou o presidente nacional da OAB, Claudio Lamachia, durante o lançamento do Cidadão Fiscal em Cuiabá.

De acordo com o presidente da OAB-MT, Leonardo Campos, o exercício da cidadania tem como pilar principal o exercício do voto secreto. “É o exercício pleno da cidadania porque ali o mais simples dos cidadãos tem o mesmo poder do mais graduado dirigente da república, é o poder de decidir o futuro do país”, disse.

Diante da responsabilidade que exige este poder, a OAB-MT idealizou o Cidadão Fiscal como uma ferramenta que permita ao eleitor exercer sua cidadania de forma plena, não apenas votando, mas fiscalizando o processo eleitoral, a fim de evitar maiores danos futuros.
Durante o pleito de 2016, o aplicativo contou com mais de 2 mil downloads e recebeu denúncias de cidadãos de 17 estados do país.


“Este aplicativo é fundamental porque nós, efetivamente, estamos, neste momento, vivenciando a eleição mais importante desde a redemocratização do Brasil, há 33 anos”, frisou Lamachia.

Ele complementa que a Constituição Federal afirma claramente que o poder emana do povo. “E por que não estamos assumindo o nosso papel de protagonistas num momento como esse?”, questiona.

No Cidadão Fiscal, que pode ser baixado gratuitamente nos sistemas Android e IOS, além da legislação eleitoral atualizada e compilada, que pode ser facilmente consultada pelo usuário, há espaço para preenchimento de formulário, com opção de identificação ou não, para encaminhamento de denúncias, em tempo real, com recursos de texto, foto e vídeo.

Todas denúncias são recebidas pela OAB-MT que encaminha aos órgãos responsáveis para as devidas providências e também às respectivas seccionais da Ordem.

Fonte: Assessoria

Agro Solidário beneficia instituições em Tangará da Serra

São atendidos a Casa Transitória da Criança, o Lar dos Idosos e a Casa do Adolescente

Há nove anos, os produtores rurais de Mato Grosso fazem mais que cultivar a terra e obter bons índices de produtividade. Por meio da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), eles colaboram com instituições filantrópicas, escolas, hospitais e creches através do programa Agrosolidário.

No Dia Nacional do Voluntariado, comemorado em 28 de agosto, os delegados da Aprosoja farão visitas às instituições atendidas pelo programa em cada município.

Em Tangará da Serra, são atendidos a Casa Transitória da Criança, o Lar dos Idosos e a Casa do Adolescente. São distribuídos 340 pacotes de bebida de soja por mês, beneficiando 80 pessoas. Cada pacote tem 500 gramas e rende, em média, 10 litros de bebida.

Mais sobre o projeto - São três frentes de atuação: distribuição de alimento à base de soja para crianças, idosos e enfermos; orientação nutricional para mães de baixa renda; e ajuda financeira para iniciativas culturais que dão oportunidades às crianças carentes.

Atualmente são 73 instituições beneficiadas, mais de 12 mil pessoas beneficiadas no Estado que estão distribuídas em mais de 30 cidades mato-grossenses. A seleção das instituições é realizada anualmente, pela gerência de relacionamentos da Aprosoja em conjunto com os delegados de cada municípios núcleo.

Fonte: AsCom Aprosoja

Seminário do Sesi passará por Sinop, Juína, Tangará e Primavera do Leste

O seminário em Tangará será no dia 16 de outubro

Sinop, Juína, Tangará da Serra e Primavera do Leste são os próximos municípios a receber a 5ª edição do Protege – Seminário de Segurança e Saúde no Trabalho nos meses de setembro e outubro. A “Gestão Segura e Inovadora para Indústria” é o tema central do evento, realizado pelo Serviço Social da Indústria (Sesi MT), que está com as inscrições abertas para profissionais da área e empresários. As vagas são limitadas e a entrada é solidária, com a entrega de dois quilos de alimentos não perecíveis.

O Protege estará em Sinop no dia 11/09, com as palestras “Gestão de SST e Promoção da Saúde” e “Fatores psicossociais de risco e proteção à saúde mental e a qualidade de vida do trabalhador”. No dia 20/09 é a vez de Juína, que abordará os “impactos do eSocial sobre as práticas de SST” e a “Gestão da incapacidade laborativa”. 

Pela primeira vez Primavera do Leste receberá o Protege, no dia 02/10, com as palestras sobre “Gestão de SST para redução da carga tributária” e “Fatores psicossociais de risco e proteção a saúde mental e a qualidade de vida do trabalhador”. O seminário também é inédito em Tangará da Serra, que acontece no dia 16/10 para debater os “impactos do eSocial sobre as Práticas de SST” e “Gestão da incapacidade Laborativa”.

De acordo com a superintendente do Sesi MT, Lélia Brun, as ações de prevenção de acidentes, promoção da saúde e bem-estar no trabalho são estratégicas para melhorar a competitividade dos negócios. “Por isso, o tema central do Protege em 2018 é a gestão desta área para os profissionais e empresários interessados em melhorar resultados que estão ligados diretamente à qualidade de vida do trabalhador, bem como ter um retorno financeiro significativo por meio da redução tributária”, afirma.

Em todas as cidades o credenciamento terá início às 18h. Para saber mais, acesse www.sesi.com.br/protege .

Fonte: Assessoria Fiemt

Repasses atrasados da saúde para os municípios ultrapassam R$ 134 milhões

A dívida do Governo do Estado com os municípios na área de saúde continua aumentando. O atraso já atinge o montante de R$ 134, 4 milhões, relacionado à atenção básica, média e alta complexidade. Os valores se referem aos anos de 2016 (R$ 31,8 milhões), 2017 (R$ 8,7 milhões) e 2018 (R$ 94,5 milhões). A falta do repasse está comprometendo o atendimento nos municípios e penalizando a população, principalmente os mais carentes que dependem exclusivamente do sistema público de saúde.

O presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios – AMM, Neurilan Fraga, ressaltou que os atrasos colocam o sistema público de saúde municipal sob o risco iminente de um colapso. Dessa forma, enfrentam dificuldades para garantir atendimento digno e de qualidade aos cidadãos. “É inadmissível que o governo, que diz ser cumpridor das leis e das suas obrigações, fique devendo uma quantia vultuosa aos municípios, desrespeitando os prefeitos, sem dar qualquer satisfação sobre os débitos”, disse ele.

Conforme o levantamento realizado pela equipe técnica da AMM, baseado no relatório da Fiplan, a dívida acumulada do ano de 2016, referente aos meses de junho a dezembro, chega a um total de R$ 31,8 milhões. Existem pendências também em 2017 no valor de R$ 8,7 milhões, dívida acumulada desde o primeiro semestre, referente à atenção básica, média e alta complexidade. Neurilan frisou que em 2018, o Governo do Estado não repassou nenhum mês aos municípios. Estão pendentes os valores de janeiro a julho deste ano, num total de R$ 94,5 milhões, para a atenção básica, farmácia, média e alta complexidade, Samu e Upas. “Diante deste quadro, os problemas foram aumentando. Em muitos municípios, os hospitais praticamente fecharam as suas portas, unidades de saúde, ficaram sem profissionais suficientes, além da falta de médicos, medicamentos, equipamentos, insumos, entre outras necessidades”, assinalou.

A AMM constantemente está cobrando do governo estadual a transferência dos recursos, considerando as dificuldades dos municípios. No ano passado a instituição protocolou ação judicial contra a Secretaria de Estado de Saúde para assegurar, de imediato, o repasse. A ação destacou que a secretaria vem reiteradamente atrasando as transferências aos Fundos Municipais de Saúde. O documento apontou várias consequências, como desabastecimento de medicamentos, atraso no pagamento da folha dos servidores municipais da saúde, falhas assistenciais na saúde, impossibilidade de atendimento e encaminhamento de pacientes, gerando para os municípios multas, juros e correções monetárias que não estão previstas em seus orçamentos, além da consequente responsabilização junto ao Tribunal de Contas. “Infelizmente a Justiça não se sensibilizou com a situação caótica que vivem os cidadãos, que precisam de atendimento nos 141 municípios, por conta dos atrasos ocorridos durante os 3 anos e meio do atual governo”, alertou.

Fraga lembrou ainda que a AMM apresentou uma proposta ao Governo do Estado, em 2017, com ações financeiras e de gestão para resolver os problemas emergenciais de curto e médio prazo na área de Saúde. A proposta foi apresentada na primeira reunião realizada pela comissão estadual formada para tratar sobre o tema, com a participação de prefeitos, deputados e representantes do Governo do Estado. “Infelizmente a comissão criada pelo próprio governo com o objetivo de encontrar soluções para a Saúde, não evoluiu. Foi realizada apenas uma reunião, provocada pela AMM que apresentou a proposta. Dessa forma, os municípios continuam penalizados com a situação, sem recursos para atender as demandas da população”, argumentou.

A proposta da AMM incluía a participação de todos os poderes, do setor econômico e dos próprios municípios, visando a levantar recursos para financiar a área de saúde, tanto nos serviços prestados pelo governo, como pelos municípios. “Ficou claro que foi mais uma comissão criada pelo governo com o objetivo de resolver os problemas financeiros, mas não deu prosseguimento em busca de soluções para um problema tão grave, como este, enfrentado pela população na atenção básica, na média e alta complexidade”, disse o presidente da AMM.

Fonte: Agência de Notícias da AMM

Hospitais deverão comunicar atendimento de agressões físicas

O projeto de Lei nº 252/2018 de autoria do deputado Saturnino Masson tem como objetivo responsabilizar os hospitais públicos e privados, a comunicarem às delegacias de polícia e demais órgãos, quando constatar no atendimento em suas unidades de pronto atendimento a ocorrência de agressões físicas em idosos, mulheres, crianças e adolescentes. 

De acordo com a propositura no caso de agressão física contra crianças ou adolescentes, os hospitais públicos e privados também deverão comunicar por escrito obrigatoriamente o Conselho Tutelar para tomar as providências cabíveis, bem como para os idosos, os hospitais deverão também fazer a notificação à autoridade sanitária e demais órgãos competentes. Na agressão física contra as mulheres, os hospitais públicos e privados deverão comunicar formalmente à delegacia da mulher.

Os dados e as informações que constarão no relatório de preenchimento na comunicação formal deverão contemplar data e horário do atendimento, motivo do atendimento, diagnóstico, descrição dos sintomas e das lesões.

“Todos os dias, nos noticiários há vários relatos de casos de violência contra idosos, mulheres, adolescentes e crianças de todas as classes em razão da sua vulnerabilidade, o que causa comoção e preocupação da sociedade. A maioria dos casos de violência é cometida por familiares ou outras pessoas que vivem no mesmo domicílio, sendo que grande parte das vítimas por medo de represálias ou vergonha de se expor, deixam de registrar a ocorrência, abrindo espaço a se tornar hábito a violência, impossibilitando a ação do Estado de promover a Justiça”, declarou Saturnino.

Fonte: Rosangela Milles - Assessoria

Educação de Mato Grosso está entre as melhores do país

Mato Grosso foi destaque na Educação em pesquisa

A criação de 42 escolas em período integral, implantação de 8 escolas militares, concurso público para a educação, cumprimento de acordo de aumento salarial de quase 50% aos professores foi um dos motivos que levaram a educação de Mato Grosso a ser considerada a 5ª melhor do país, de acordo com o Ranking de Eficiência dos Estados – Folha (REE-F), uma ferramenta inédita lançada pelo jornal Folha de São Paulo e o Datafolha. O levantamento apontou ainda que o Estado possui o 9º melhor índice da segurança pública, entre as 27 unidades da federação.

No estudo que considera 17 variáveis agrupadas em 6 componentes – Educação, Saúde, Segurança Pública, Infraestrutura, Finanças e Receita Per Capita, Mato Grosso está em 17º lugar com 0,353. O Estado saiu da zona crítica das políticas públicas, ficando de fora da lista dos estados considerados ineficientes em fazer mais com menos recursos. Diante da crise econômica nacional que afetou as contas do país nos últimos anos, apenas cinco estados estão acima de 0,50, em escala que varia de 0 a 1.

Contudo, Mato Grosso poderia estar numa situação ainda pior se não tivesse realizado investimentos na Segurança Pública e é o maior indicador de Mato Grosso, de acordo com o REE-F, com 0,701.

A atual gestão realizou, desde 2015, investimentos em recursos humanos com o chamamento de mais de 3,6 mil profissionais da Segurança Pública, aparelhamento, o dobro de viaturas na rua, reforma/locação de 39 delegacias da Polícia Judiciária Civil, novos prédios da Politec, novas unidades do Corpo de Bombeiros, dentre outros investimentos.

Fonte: Cenário MT

Inadimplência do MEI cai 14% em comparação com 2017, mas continua alta

O número de Microempreendedores Individuais (MEI) inadimplentes com as fazendas públicas municipais, estaduais e o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) reduziu 14% em relação ao último ano, mas ainda está na casa dos 48%, segundo dados da Receita Federal do Brasil (RFB). O número de irregularidades é alto e preocupante, considerando-se que, até junho de 2018, o Brasil já possuía mais de 7 milhões de MEIs.

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) explica que a queda na inadimplência se justifica pelo fato de a própria Receita ter cancelado mais de 1 milhão de pequenos empresários por inadimplência e não cumprimento das regras do programa, como o envio da Declaração Anual do Simples Nacional — Microempreendedor Individual (DASN-Simei).

Tendo em vista que a Lei Complementar 155/2016 permite que o MEI fature, a partir desse ano, até R$ 81 mil/ano, a entidade demonstra preocupação com os altos índices de inadimplência. Pela regra, ficam mantidos os R$ 5,00 de Imposto Sobre Serviço (ISS) e R$ 1,00 de Imposto sobre operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre prestações de Serviços de transporte interestadual, intermunicipal e de comunicação (ICMS).

Impactos e orientações

A mudança no faturamento já gera perdas na arrecadação do imposto municipal. Somada à inadimplência, há um prejuízo ainda maior para os cofres públicos.

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) alerta sobre o papel dos Entes em relação ao MEI e destaca que uma boa prática é a pesquisa e seleção, pela administração tributária do Município, que destacará, mensalmente, um ou mais MEIs para acompanhamento. O objetivo é promover a fiscalização e a orientação. Tal ação poderá garantir a redução da inadimplência do MEI tanto no cumprimento das obrigações principais quanto acessórias.

Para orientar melhor os Municípios, a CNM criou o Perguntas e Respostas do MEI.

Fonte:Agência CNM

Mato Grosso deve dobrar produção de café

Café é responsável por mais de 51% da produção em MT

A região Noroeste do Mato Grosso tem se destacado na produção de café. O governo mato-grossense reconhece a cidade de Colniza como a capital do café no estado. Ela é responsável por mais de 51% da produção do Mato Grosso e é, por isso, considerada referência para os demais municípios.

São mais de 10 mil hectares de café de qualidade, plantado numa região de solo e clima favoráveis, que devem permitir, no prazo de cinco anos, quase dobrar a produção de 130 mil sacas de café por alqueire, passando a produzir de 220 sacas a 230 sacas por alqueire. Para isso, produtores locais estiveram com o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, pleiteando recursos para a logística no município. O objetivo é obter investimento em patrulha mecanizada, a fim de abrir estradas no acesso a fazendas e facilitar o escoamento da produção de grãos voltados especialmente para a elaboração de expresso e cappuccino.

Fonte: Notícias Agrícolas

Produtores receberão assistência técnica

Assistência técnica será oferecida aos produtores rurais de forma gratuita

Os produtores rurais de Tangará da Serra contarão a partir do mês de outubro desse ano com o serviço de assistência técnica de forma totalmente gratuita, oferecida pelo programa ‘Senar Tec Horticultura – Consultoria e Inovação no Campo’.

A novidade se concretizou na tarde dessa quinta-feira, dia 23 de agosto, através de uma parceria firmada entre o Sindicato Rural de Tangará da Serra, Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT), Associação dos Engenheiros Agrônomos (AEATGA) e o MT Horticultura/Unemat.

As instituições parceiras apresentaram o programa na sede do Sindicato Rural, onde produtores de hortaliças e frutas interessados em serem beneficiados com os serviços fizeram o cadastro para receberem a consultoria gratuita.

De acordo com a diretora do Sindicato Rural, Eloísa Zuconelli, a ampliação de atuação da entidade busca dar um respaldo maior e efetivo para os produtores rurais do Município. “Nós como elo de ligação com o Senar-MT, estamos fomentando e potencializando esses contados para trazer benefícios aos produtores de nossa cidade”, relatou Zuconelli.

O gerente técnico do Senar-MT, Guto Zanata, destacou a importância das parcerias pelo fato de Tangará da Serra ter aproximadamente 1100 produtores, número considerável que agora pode ser beneficiado com o programa, que já é pioneiro em Mato Grosso.

“Isso significa que a gente precisa de muitas entidades juntas para poder aprender e também levar conhecimento até o campo. O Senar-MT está fazendo seu papel de vir somar com o Sindicato Rural”, relatou o responsável, ao informar que além da assistência técnica, o Senar-MT disponibilizará instrutores e cursos. “Atendemos para levar mais capacidade e conhecimento aos produtores”, concluiu Zanata.

Fonte: Rodrigo Soares - Redação DS

Sicredi apresenta linhas de crédito para construção de armazéns

Mato Grosso é líder nacional na produção de grãos, com a previsão de colher cerca de 61,640 milhões de toneladas na safra 2017/2018, conforme estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). É o maior produtor de soja e milho – que juntos somam 58,706 milhões/t – e tão grande quanto a produção dessas culturas é o problema enfrentado pelos agricultores na hora de estocar os grãos. Para minimizar os impactos da falta de armazenagem no Estado, uma das saídas é o investimento próprio na construção de estruturas, tema central da 1ª Feira de Negócios Armazena MT, realizada pela Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) nesta quinta-feira (23.08), em Cuiabá.

A estimativa é reunir cerca de 300 pessoas para acompanhar discussões que incluem os benefícios da armazenagem para uma propriedade rural, linhas de crédito para construção e ampliação de armazéns, e medidas de segurança para unidades de armazenamento. Participante da feira, o Sicredi terá um estande e apresentará as linhas de financiamento oferecidas aos produtores rurais para esta finalidade. Gerentes de negócios das cooperativas atenderão pessoalmente os produtores associados e apresentarão outras operações de crédito disponíveis no Plano Safra 2018/2019.

Na instituição financeira cooperativa, os produtores rurais têm linhas de crédito específicas para investimento em estruturas de armazenagem: o Programa para Construção e Ampliação de Armazéns (PCA) e o BNDES Automático Agropecuário. As contratações podem ser feitas por produtores rurais associados pessoa física ou jurídica, além de cooperativas de produtores rurais e associações, nas agências do Sicredi.

O presidente da Central Sicredi Centro Norte, João Spenthof, afirma que a instituição financeira cooperativa está sempre ao lado dos produtores rurais, desde o planejamento da safra até a execução de melhorias nas propriedades para agregar renda e contribuir com o desenvolvimento da atividade. Oferece crédito aos produtores para custeio e investimento da safra e para comercialização da produção, com taxas de juros competitivas. “Sabemos da dificuldade que o produtor rural tem ao fim de cada colheita, especialmente do milho, em que já vimos grãos armazenados a céu aberto. Isso não pode ocorrer e estamos aqui para auxiliá-los a estudar e realizar os melhores investimentos para melhorar a produção”, diz o presidente.

Na região Centro Norte, que abrange os estados de Mato Grosso, Rondônia, Pará e Acre, o Sicredi tem aproximadamente 388 mil associados, sendo que 16,1% são do segmento Pessoa Física Agro e inclui agricultores familiares e empresariais. “Nossa missão é levar desenvolvimento às comunidades onde atuamos e o segmento agro é um dos nossos públicos alvos. Ao desenvolver a agricultura e a pecuária em algumas regiões contribuímos para a movimentação de outras cadeias produtivas e atividades econômicas, como a agroindústria, o comércio e a prestação de serviços e criamos um ciclo virtuoso de desenvolvimento”, pontua.

No Brasil há vários tipos de estruturas de armazenagem como silos elevados de concreto, silos metálicos, armazéns graneleiros, silos bolsas e silos móveis. Cada um tem suas vantagens e desvantagens, características que são avaliadas conforme a propriedade e a forma de produção e comercialização dos grãos.

Crédito para armazenagem

O Programa para Construção e Ampliação de Armazéns (PCA) pode ser acessado pelo produtor rural pessoa física ou jurídica e cooperativas de produção. Financia até 100% do valor, limitado a R$ 20 milhões. O prazo de pagamento é de 180 meses, sendo até 36 meses de carência, com taxas de juros de 6% ao ano. A linha é específica para o investimento na ampliação, modernização, reforma e construção de armazéns destinados à guarda de grãos com capacidade acima de seis mil toneladas, com ta xa de juros de 5,25% ao ano. Acima deste volume, a taxa é de 6% ao ano.

A linha BNDES Automático Agropecuário pode ser contratada por produtor rural pessoa física ou jurídica; micro, pequena e média empresa do setor agropecuário; e empresário individual, desde que exerça atividade produtiva no setor agropecuário. Financia até 100% do valor, também limitado a R$ 20 milhões, com prazo de pagamento em até 120 meses, incluídos até 36 meses de carência. A taxa de juros é a TLP (Taxa de Longo Prazo).

Safra 2018/2019

Nesta temporada, as cooperativas do Sicredi na região Centro Norte disponibilizam R$ 2,627 bilhões em crédito rural para custeio, valor é 11,2% maior que do ciclo 2017/2018, que era de R$ 2,363 bilhões. Além dos recursos para o custeio, as cooperativas têm R$ 500 milhões, provenientes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), para operações de investimentos, o que resulta na oferta total de R$ 3,127 bilhões em crédito para pequenos, médios e grandes produtores da região. As cooperativas também estarão aptas a atender a demanda por recursos para comercialização da produção.

Serviço

A 1ª Feira de Negócios Armazena MT será realizada nesta quinta-feira (23.08) das 13h30 às 19h no Buffet Leila Malouf – Espaço Reali, com entrada gratuita.

Sobre o Sicredi

O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão valoriza a participação dos 3,8 milhões de associados, os quais exercem um papel de dono do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.600 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros. Mais informações estão disponíveis em www.sicredi.com.br. 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

O Sicredi Centro Norte, composto pelos estados de Mato Grosso, Rondônia, Pará e Acre, tem cerca de 388 mil associados, com 166 agências em 134 municípios.

Fonte: Redação Olhar Direto

Mais de 80 crianças participam da Escolinha de Basquete

As aulas acontecem sempre no Módulo Esportivo, à tarde e à noite

O basquetebol ou simplesmente basquete, é um esporte coletivo praticado entre duas equipes. Nas escolas, é um dos esportes mais praticados – geralmente ficando atrás somente da paixão nacional dos brasileiros, o Futebol. 

Em Tangará da Serra, além das unidades escolares, a modalidade esportiva é também trabalhada com grupos específicos de alunos, as conhecidas escolinhas, promovidas pela Prefeitura de Tangará da Serra, através da Secretaria Municipal de Esportes.

Comandada pelo professor Claude Bernardino Rodrigues, a Escolinha de Basquete vem fazendo um trabalho com cerca de 80 crianças e jovens da nossa cidade, no contraturno escolar, trabalhando com elas muito mais que gestos esportivos, um trabalho social na formação do caráter dessas crianças. As aulas acontecem sempre no Módulo Esportivo, de segunda a sexta-feira, sempre das 13h às 15h, exceto na terça-feira; e aos alunos do juvenil, na segunda e sexta-feira, das 19h30 às 21h.

E buscando fomentar a modalidade, a Secretaria de Esportes realizou recentemente o I Festival de Basquete 3X3, masculino e feminino. “O objetivo desse festival de basquete era fomentar a modalidade no município e conseguimos. Tivemos alunos da escolinha envolvidos, das escolas municipais e estaduais, alunos de basquete do professor Lorival e João do Ipes, e do adulto do professor Wanderson. Todos esses professores ajudaram na realização deste evento, assim como a professora Kelly do Handebol. Foi realmente um sucesso”, relembra o treinador, ao destacar que mais de 100 atletas participaram do Festival de Basquete. “Esperamos para o próximo ano dobrar estes números e abrir para atletas de outras cidades também”.

Aos interessados em fazer parte dos treinamentos da Escolinha de Basquete, o professor Claude afirma que há vagas. “Traga seus filhos para escolinha”. Mais informações pelo telefone 65 99992-2349.

Fonte: Redação DS

Período Eleitoral promove mudanças em sessões

Troca de cadeiras está acontecendo na Câmara Municipal

O período eleitoral teve largada oficialmente no último dia 15, com o prazo final para o registro das candidaturas a um dos cargos eletivos desse ano. Com isso, o cenário político apresentou algumas modificações, que inclusive tiveram reflexos na Câmara Municipal de Vereadores de Tangará da Serra devido a troca de cadeiras que aconteceu na Casa de Leis, e que ainda deverá acontecer nos próximos dois meses.

Edmilson Porfírio e Nivaldo Leiteiro, ambos do PSDB, assumiram na última quarta-feira, dia 15 de agosto, as vagas dos titulares Professor Vagner Constantino e Fabio Brito, que se licenciaram para tratar de interesses particulares.

O vereador Rogério Silva, que se licenciou para a campanha eleitoral em busca de uma das vagas da Câmara Federal, teria seu cargo ocupado por Ademir Anibale, que apresentou na Câmara Municipal justificativa para não assumir o posto, explicando que atualmente está no cargo de secretário municipal de Esportes, onde pretende dedicar seu tempo.

No lugar de Ademir Anibale, o suplente Admir José Nascimento (MDB), que é conhecido no cenário político como o Dé da Tubaína, deve ser convocado ainda nessa semana pelo Legislativo tangaraense.

Em entrevista ao Diário da Serra, o vereador suplente Nivaldo Leiteiro afirmou que ficará na vereança somente pelo período de trinta dias. “Após esse prazo, vou ceder para o meu suplente, que será Edgar Laurini, presidente da Associação dos Caminhoneiros de Tangará da Serra”, relatou Leiteiro. Na mesma linha de troca de cadeiras seguirá o suplente Edimar Porfírio, que também permanecerá somente por 30 dias no Poder Legislativo. “Vou ceder os outros 30 dias para o suplente Zaque do Ônibus, do Assentamento Antônio Conselheiro”, relatou Porfírio, que trabalhou por muitos anos como socorrista do Samu.

Fonte: Rodrigo Soares - Redação DS

Justiça Eleitoral define locais de votação em Tangará

A disputa ocorrerá no dia 7 de outubro

A Justiça eleitoral, por meio do Cartório da 19ª Zona Eleitoral, finalizou o planejamento e definiu todos os locais e seções de votação em Tangará da Serra, para Eleições Gerais 2018. A disputa ocorrerá no dia 7 de outubro, em primeiro turno, e no dia 28 de outubro, nos casos de segundo turno.

De acordo com o chefe do Cartório Eleitoral, Luis Gustavo Romko, ao todo serão 206 seções eleitorais, divididas em 33 locais de votação – escolas no perímetro urbano, rural e indígena. “Já foram fechados os locais de votação e o processamento dos eleitores, daqueles que não poderão votar, e com esse processamento conseguimos definir as 206 seções”, explica Romko, ao destacar que houve um acréscimo de seções. Foram criadas 10 seções em relação as eleições municipais, assim como acrescentado um novo local de votação – o Centro Municipal de Ensino Fausto Eugênio Masson. 

Porém, explica o responsável, apesar deste acréscimo, muitas seções não atingiram o quantitativo mínimo de eleitores – 150 eleitores – e foram agregadas a outras. “Temos seis seções em Tangará da Serra que são agregadas e o eleitor deve ficar atento a essas mudanças”, alerta o responsável, ao frisar, que essas agregações são de seções na mesma escola. 

Na escola Antonio Hortolani, por exemplo, a seção 0053 foi agregada a 0052. As seções 0064 e 0065, na Escola Estadual Petrônio Portella, foram incorporadas na 0063, na mesma unidade escolar. As outras mudanças foram nas escolas Décio Burali (0297 foi agregada a 0388); Ernesto Che Guevara (0154 para a 0152); e Tânia Arantes Junqueira (0233 para a 0158).

Em outubro próximo, 65.681 eleitores de Tangará da Serra estão aptos a escolherem os próximos governantes – Presidente da República, Governador do Estado, Senadores, Deputados Federais e Deputados Estaduais.

Fonte: Fabíola Tormes - Redação DS

Município inicia instalações de novos pontos semafóricos

I
Instalações serão finalizadas nessa semana

A Prefeitura Municipal de Tangará da Serra iniciou nessa semana novas mudanças no trânsito da cidade, através da instalação de dois novos conjuntos semafóricos. A empresa responsável pelo serviço promoveu a fixação das colunas de semáforos na Avenida Tancredo Neves, sendo um no cruzamento com a Rua Antônio Hortolani e outro com a Euclides Geraldo Medeiros.

De acordo com o Superintendente de Transporte Aéreos e Viários, Cássio Lorenzetti, o trabalho de instalação dos equipamentos nos dois locais deve ser finalizado ainda nessa semana.

“O trabalho está em pleno vapor, então acreditamos que o serviço de semáforo acabará essa semana. Ficarão as obras de acessibilidade, que acredito que serão finalizadas na semana que vem”, relatou o superintendente, destacando que o investimento nos dois novos lotes semafóricos corresponde ao montante de R$136.959,44.

“Uma das novidades vindo com a instalações desses novos pontos semafóricos, é que esses novos terão temporizadores”, informou Cássio.
Com as novas instalações, o semáforo localizado em frente a Caixa Econômica será removido, assim como os tachões que fazem o cruzamento da Avenida Tancredo Neves com a Antônio Hortolani.

“Vamos retirar o semáforo da caixa, que é um sistema conhecido como botoeira. Vamos transferir aquele ponto semafórico para a Antônio Hortolani com a Tancredo, pois devido a rotatória gera grande fluxo, causando congestionamento”, enfatizou Lorenzetti.


“Na Euclides Medeiros, aumentou o fluxo e está congestionando até chegar na Tancredo Neves, pois o pessoal usa a Rua 13 para não pegar a Avenida Brasil. Nosso objetivo é esse, diminuir o fluxo dos veículos e consequentemente melhorar a qualidade de vida da nossa população”, emendou o responsável.

Semáforos serão instalados em frente a escolas

Além das modificações no trânsito que começaram nessa semana, o Executivo Municipal programou a instalação de outros cinco pontos semafóricos em Tangará da Serra, distribuídos em frente a escolas localizadas na região central da cidade.

De acordo com o Superintendente de Transporte Aéreos e Viários, Cássio Lorenzetti, o objetivo é garantir mais segurança aos alunos e profissionais da educação, sendo que o fluxo de veículo nos horários de entrada e saída dos estudantes aumenta consideravelmente.

“A previsão é que esses cinco lotes semafóricos sejam instalados até o final do mês que vem. Pode ser que haja algum imprevisto, mas estamos trabalhando efetivamente para que aconteça o mais rápido possível”, anunciou Lorenzetti, informando ainda, que os novos semáforos serão instalados na frente as Escolas Estaduais 13 de Maio e João Batista, assim como nos Centros Municipais de Ensino Dom Bosco, Airton Sena e Antenor Soares. O empenho para as instalação é de R$215.700,00.

Fonte: Rodrigo Soares - Redação DS

Gilmar Utzig é o novo Secretário de Educação de Tangará

Ele assume em substituição a Adriano Fernandes, que está de mudança para Brasília

O prefeito de Tangará da Serra Fábio Martins Junqueira (MDB) dará posse na tarde desta terça-feira, 21, ao novo Secretário Municipal de Educação, professor Gilmar Utzig. A cerimônia de posse será às 16h, no auditório da Prefeitura Municipal. 

Ele assume em substituição a Adriano Fernandes, que está de mudança para Brasília. “Alguns meses atrás recebi uma proposta de trabalho em Brasília, cidade que morei e trabalhei durante 11 anos, e resolvi então aceitar este novo desafio”. 

Adriano Fernandes, que é pastor evangélico, estava no cargo desde o janeiro de 2016. “Foram dois anos e oito meses no cargo. Deixo a pasta muito feliz, porque acredito que consegui contribuir bastante com a educação. Saio com um sentimento de missão cumprida”. 

A saída do professor Adriano Fernandes foi noticiada pelo Diário da Serra no início deste mês.

Fonte: Redação DS

Em dia diferente, APAE visita o Corpo de Bombeiros

As atividades aconteceram de manhã e à tarde

Aproximadamente 150 alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais - Apae, Escola Especial Raio de Sol de Tangará da Serra, tiveram na segunda-feira, 20, um dia bastante diferente de todos os outros com rapel, resgate simulado, escalada e até passeio em caminhão pelas ruas da cidade.

As atividades aconteceram na unidade de Bombeiros Militar e fazem parte de duas comemoração a serem lembradas. O Dia do Bombeiro e a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla, iniciada no domingo, 19. As atividades aconteceram de manhã e à tarde.

Segundo informações da coordenadora da escola, Inês Tramontina, a semana acontece todos os anos e tem como proposta promover ações de inclusão social e de combate ao preconceito e à discriminação contra as pessoas com deficiência. “Eles estão maravilhados. Tudo é novidade, então nós estamos muito felizes de poder proporcionar esses momentos que com toda certeza jamais serão esquecidos”, frisou.

Fonte: Rosi Oliveira - Redação DS

Tangaraenses sobem no pódio na Corrida Duque de Caxias

Prova teve trajetos de 5 e 10 km

Cerca de mil pessoas, entre eles tangaraenses, participaram no último domingo, 19 de agosto, da 4ª edição da Corrida Duque de Caxias ou Corrida do Exército, em Cuiabá. A competição, realizada pelo 44º Batalhão de Infantaria Motorizado em parceria com a Prefeitura de Cuiabá, faz alusão ao Dia do Soldado, comemorado dia 25 de agosto. O evento também busca a integração social, a prática desportiva e fortalecimento das instituições e empresas envolvidas.

Com trajetos de 5Km e 10Km, os participantes percorreram as ruas da capital mato-grossense e, ao final, os cinco melhores atletas em cada categoria (5 e 10 quilômetros) foram premiados com dinheiro, e os três melhores por faixa etária, premiados com troféus e medalhas. 

Mantendo-se no topo, o jovem atleta tangaraense Alison Vinícius, de 24 anos, conquistou a terceira colocação nos cinco quilômetros, ficando apenas cinco segundos atrás do segundo colocado. “Foi uma prova bem disputada. Agora é treinar mais”, afirma o atleta, que representa a equipe Agenda Assessoria. Ele se prepara agora para a Corrida da Advocacia, neste domingo, 26, também em Cuiabá.

Além dele, subiram no pódio os atletas Ailton dos Santos e Walter Marcos, que ficaram em segundo e terceiro lugares, respectivamente, em suas categorias.

Fonte: Fabiola Tormes - Redação DS