Reforma administrativa gera economia de R$ 83 milhões em 2019

Estado renegociou 217 contratos e rescindiu outros 70 devido à extinção e fusão de órgãos, uma economia de R$ 56 milhões

A reforma administrativa promovida em janeiro do ano passado através da Lei nº 612, culminou em uma economia de R$ 83 milhões aos cofres públicos no primeiro ano de gestão do atual Governo. Os dados são da Secretaria de Planejamento e Gestão, que orienta órgãos e entidades e acompanha os indicadores de eficiência e economia e as metas de redução de despesas da máquina pública.

Para o titular da pasta, Basílio Bezerra, o Estado mostrou que as ações implementadas no início da gestão eram extremamente necessárias para que se alcançasse o equilíbrio das contas públicas.

“Uma das maiores ações de gestão da atual administração foi a reforma administrativa. Os números estão aí para mostrar que o Governo está no caminho certo aprovando essas medidas há cerca de um ano”.

Danos elétricos: saiba como evitar e quando cabe ressarcimento

A alta incidência de raios é uma das maiores causas da queima de aparelhos elétricos

A meteorologia indica que podem ocorrer chuvas intensas para este início de ano e com isso aumentam também as descargas atmosféricas, capazes de causar danos dentro da sua casa ou trabalho. Tudo porque o calor e a umidade do ar, em conjunto, contribuem para formação de nuvens de tempestades que estimulam a ocorrência desses fenômenos da natureza.

Previsão divulgada pelo Instituto de Nacional de Meteorologia (Inmet) aponta que esta semana será chuvosa em todo o Mato Grosso. Já o ELAT divulgou previsão também de temporais, com atenção para a região do Araguaia e Cáceres. 

“O período entre setembro a março, ou seja, da primavera até o final do verão, é tido como estação chuvosa no Brasil, com formação constante de nuvens do tipo Cumulonimbus - as mais perigosas e que geram raios”, conta a meteorologista do ELAT, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, Ana Paula Santos.