Após habilitação, UPA 24 Horas recebe 1ª parcela de quase R$ 230 mil

Para manutenção do recurso, há que se cumprir alguns requisitos

Após o credenciamento da Unidade de Pronto Atendimento 24 Horas acontecer, a primeira parcela no valor de R$ 227.500,00 foi depositada em conta e em breve estará disponível para ser aplicada na unidade. Essas são informações obtidas com o secretário de Saúde de Tangará da Serra, Itamar Bonfim. 

Segundo o secretário, o valor foi depositado em uma conta criada pelo próprio Ministério da Saúde e somente poderá ser utilizado, após uma solicitação suplementar junto a Câmara de Vereadores, para que o valor seja liberado, uma vez que não existia, não sendo assim, previsto no orçamento do município. “Como a gente havia pleiteado a habilitação da nossa Upa 24 Horas, num valor de R$ 227.500,00 isso começou a cair a partir da competência de novembro. Ele já está na conta uma conta específica criada pelo próprio Ministério da Saúde e agora nós dependemos de encaminhar isso como um orçamento que não era previsto para esse ano. Então precisamos encaminhar esse projeto de lei para a câmara abrindo esse crédito orçamentário. Assim que passar esse projeto para a câmara a gente abre ele numa rubrica de despesa para a Upa, porque a Upa até então não tinha recurso vinculado. Até hoje a gente trabalhava somente com recursos próprios. então esse recurso é para ajudar a pagar salários, comprar medicamentos e outros afazeres. O que vai mudar para nos é que a gente não tinha ajuda nenhuma e hoje nós temos esse valor. Não será coisa nova. Será para manter o funcionamento da Upa”, frisou Bonfim, destacando que para manutenção do recurso, há que se cumprir alguns requisitos. “Nós temos que cumprir uma meta de 6.790 atendimentos mês, esse é o mínimo para garantir esse recurso, mas nós atendemos mais de 10 mil por mês. Estamos dentro da meta, mas são procedimentos específicos, para não perder esse convênio, então teremos muito mais facilidade para monitorarmos esses atendimentos”, salientou o secretário.

“Esse recurso será para aumentar o nosso poder de resolução”, diz secretário

Além desse recurso, o Governo do Estado garantiu no mês de outubro, durante a realização da Caravana da Transformação em Tangará da Serra, que contribuiria por quatro meses com a Secretaria Municipal de Saúde de Tangará da Serra com um aporte para custear despesas do Hospital Municipal.
A portaria inclusive já foi assinada, mas até o momento o valor ainda não foi disponibilizado ao município.“Saiu uma portaria do repasse de R$ 400 mil por mês do governo do estado para o nosso hospital. Essa portaria diz que o repasse deveria ocorrer a partir do mês de novembro, mas ele ainda não ocorreu, mas talvez seja pelo fato da portaria tem menos de mês que foi publicada. Esse recurso será para aumentar o nosso poder de resolução aqui em Tangará da Serra. Por exemplo, hoje temos que aumentar 46 leitos de internação, dentre esses, são os leitos cirúrgicos que nós não temos nenhum. Então precisamos aumentar também a nossa equipe e implantar o nosso setor de cirurgia e fazer a contratação do anestesista. Então esse recurso vem para isso. É logico que ele não dá para fazer tudo mas como a gente já utiliza quase tudo com recurso próprio, nós temos aí um apoio de mais R$ 400 mil, somados com R$ 227.500,00 vai dar um valor que a gente não tinha”, frisou.

Reeducandas da cadeia feminina de Tangará concluem curso de artesanato

 Peças estão à vendas na frente da Cadeia Feminina

Doze reeducandas da Cadeia Feminina de Tangará da Serra concluíram na tarde desta sexta-feira, dia 17 de novembro, o curso de pinturas em telhas. As detentas já estavam há certo tempo realizando as atividades, que foram ministrada pela agente penitenciária Cleusa Fardim, responsável por ensinar as técnicas para reeducandas tangaraenses.

“É muito gratificante dar essa oportunidade, porque é uma forma delas mostrarem suas habilidades e ocuparem o tempo aqui dentro. É também uma maneira delas terem uma renda quando saírem da prisão. A técnica em pinturas em telhas é muito fácil, além de ser econômica. Elas aprenderam tudo certinho e já podem fazer as peças sozinhas”, disse a professora de artesanato.

A diretora da Cadeia Feminina de Tangará da Serra, Josmara Lourenço, afirmou que a ideia nasceu de uma reivindicação das próprias detentas. “Tinham oito reeducandas que faziam tapetes, e falavam que estavam em dificuldades para conseguir comercializar. A partir disso, pediram um novo curso, momento em que eu conheci o trabalho da Cleusa. Durante a Caravana da Transformação, conversei com o secretário adjunto de Segurança Pública, e ele me permitiu trazer ela para o curso. Estou muito feliz e otimista, pois são peças lindíssimas”, relatou a diretora, ao destacar que as peças estão à disposição para vendas.

“Vamos colocar exposição na frente da cadeia. Além disso, fechamos parceria com a secretaria de Educação e Cultura, e vamos expor as peças nas feiras e nos saraus. Quem quiser encomendar, pode vir até a Cadeia Feminina”, finalizou.

Por: Rodrigo Soares - Redação DS

IFMT de Tangará investe cerca de R$ 500 mil em energia solar

Além de investimento de energia solar, IFMT realizou reforma em parte do telhado

O Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), campus avançado de Tangará da Serra acaba de dar um importante passo rumo à sustentabilidade. Isso porque a instituição concluiu nessa semana o processo de instalação da usina fotovoltaica, que consiste na produção de energia solar e que deverá gerar inicialmente cerca de 80% de economia na rede elétrica.

De acordo com o diretor do IFMT de Tangará da Serra, Gilcélio Peres, o investimento foi de aproximadamente R$ 500 mil. “Fizemos um investimento alto, mas vamos recuperar isso pois o sistema gera muita economia. Com certeza iremos suprir e cobrir rapidamente esse importante investimento”, comentou o responsável, destacando que para a instalação da usina fotovoltaica, parte do telhado da instituição precisou passar por algumas readequações.

“Foi realizado investimento em parte do telhado, obra feita justamente para instalar a usina fotovoltaica. Daqui a aproximadamente 20 dias, daremos sequência nos serviços de reparo no telhado. É necessário porque o prédio é um pouco antigo, então existe essa necessidade. Será outro investimento de mais de cem mil reais”, informou o diretor.

A coordenadora de Administração e Planejamento da instituição, Michelle Fernanda Martin, afirmou que dar importância para sustentabilidade contribui até mesmo com o ensino pedagógico dos alunos. “Estamos com expectativa muito boa. Inicialmente, os alunos ainda estão disseminando a informação entre si. Estamos esperando efetivar a redução da fatura de energia para mostrarmos o resultado a eles. Vamos fazer ações para gerar ainda mais economia, para nossos alunos verem que estamos investindo nisso”, enfatizou a coordenadora. “A usina fotovoltaica tem uma importância muito grande e atende exigências do serviço público, que tem como pilar o respeito ao meio ambiente. A energia limpa é um grande desafio para empresas públicas e particulares”, concluiu.

Por: Rodrigo Soares - Redação DS