Respeito à autonomia mantém relação transparente entre poderes, afirma chefe da Casa Civil

Mauro Carvalho representou o governador Mauro Mendes na solenidade de posse da nova diretoria da Associação Mato-grossense do Ministério Público

O secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, afirmou nesta sexta-feira (31.01) que a relação cordial e franca entre os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário de Mato Grosso sempre será mantida através do respeito à autonomia e diálogo transparente entre as instituições.

Carvalho representou o governador Mauro Mendes na solenidade de posse da nova diretoria da Associação Mato-grossense do Ministério Público (AMMP), no auditório da Procuradoria-Geral de Justiça.

“Durante todos os enfrentamentos que tivemos no ano de 2019 foi nítida a visão de que o Ministério Público está comprometido com Mato Grosso. E a palavra que posso deixar neste momento é de agradecimento, pois a relação do Governo do Estado e do governador não apenas com o MP, mas com todos os poderes, é a melhor possível”, disse o chefe da Casa Civil.

Alunos de escolas estaduais passam em Medicina e outros cursos da UFMT

O estudante Jaime de Souza Lima Júnior, de São José dos Quatro Marcos, conquistou o 1º lugar entre alunos das escolas públicas

Alunos da Rede Estadual de Ensino conquistaram vagas no curso de Medicina, o mais concorrido da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), cuja maior parte dos alunos vem de outros Estados. Entre os felizardos está o estudante Jaime de Souza Lima Júnior, que concluiu todo o ensino médio na Escola Estadual Plena Bertoldo Freire, em São José dos Quarto Marcos (a 315 quilômetros a oeste da Capital).

O jovem conquistou o 1º lugar entre alunos das escolas públicas. Jaime concluiu o 3º ano em 2018 e, no ano passado, reforçou os estudos, conseguindo notas suficientes para conquistar uma vaga em Medicina.

“A Escola Bertoldo Freire foi importante nessa caminhada vitoriosa, pois descobri a minha vocação, o que queria fazer de curso superior. Tudo isso, graças à disciplina Projeto de Vida, da escola plena. Com isso, reforçamos o estudo extracurricular conforme nossa escolha”, assinala.

A partir daí, fez seu projeto, focando no 2º ano, o estudo nas disciplinas básicas – como língua portuguesa e matemática. No 3º ano, focou nas disciplinas da ciência da natureza.

“O ensino da escola pública é bom, pois nesses três anos, consegui uma boa base. Por isso, precisei só um reforço no ano seguinte”, frisa.

Jaime explica que, desde o segundo ano, começou a estudar focado no Enem. Ao terminar o 3º ano, em 2018, conseguiu nota geral de 705 pontos, o que foi insuficiente para medicina.