Assembleia aprova projeto que cria o programa Nota MT

Projeto que visa estimular o hábito no consumidor de exigir a nota fiscal é aprovado em primeira votação

Os deputados estaduais de Mato Grosso aprovaram, em primeira votação na última quinta-feira, o Projeto de Lei 215/2019 que autoriza o Executivo a instituir o Programa Nota MT, com o objetivo de incentivar a cidadania fiscal, mediante a adoção de medidas que estimulem o hábito no consumidor de exigir a emissão da nota fiscal.

Atualmente, conforme números do governo apresentados pela deputada Janaína Riva (MDB), durante sessão plenária, o Estado emite mais de um milhão de notas fiscais por dia. “Há muita sonegação e o objetivo do governo é aumentar para a emissão de notas em mais de dois milhões por dia com o programa”, disse.

Botelho destaca avanços em Cuiabá e pede melhorias

Autoridades lançaram selo e carimbo comemorativos dos 300 anos de Cuiabá na ALMT

Ao considerar os avanços registrados em Cuiabá nos últimos anos, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM), disse que a população tem muito a comemorar e merece novos avanços. A declaração foi feita durante o lançamento da edição especial do Selo ‘Cuiabá 300 Anos e do Carimbo Comemorativo’, realizado em sessão especial alusiva ao aniversário da Capital, nesta sexta-feira (12), no Plenário das Deliberações, numa parceria com o Senado Federal e Câmara Municipal de Cuiabá.

Botelho também cobrou uma força-tarefa em defesa de melhorias nos setores essenciais, especialmente da Saúde, com ações que promovam, por exemplo, a reabertura da Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá. A ALMT disponibilizou R$ 3,5 milhões para ajudar a entidade filantrópica a superar a crise e retomar o atendimento de pacientes.

Ao destacar a história da Capital, o parlamentar ressaltou a hospitalidade do povo cuiabano, que acolhe a todos sem distinção e que merece retomar o desenvolvimento, inclusive solucionar a questão do Veículo Leve sobre Trilhos – VLT.

Oferta mato-grossense deve crescer duas vezes mais que a nacional

Sétimo levantamento realizado pela Conab mostra avanço de 3,4% da produção nacional e de 6,1% no Estado. Projeção aponta saldo histórico, com mais de 65 milhões toneladas

Mato Grosso vai consolidando a projeção de mais um recorde de produção, com estimativa de somar 65,44 milhões de toneladas (t) para o atual ciclo, 2018/19. Serão 3,73 milhões de toneladas a mais, se comparada ao volume colhido no ano passado. 

Se o volume se confirmar, o ciclo mato-grossense será 6,1% maior que o colhido na safra passada – recorde até então – com 61,71 milhões de toneladas (t). A pujança confirma o Estado como maior produtor nacional de grãos e fibras pelo oitavo ano consecutivo. 

Os dados divulgados ontem pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) mostram que de acordo com esse levantamento – o sétimo dessa safra – Mato Grosso avança na participação da oferta agrícola nacional ao responder sozinho por 27,8% da estimativa total de 235,3 milhões t no país. 

A projeção mato-grossense está alicerçada no bom momento do milho safrinha e do algodão, culturas com estimativas de avanço. O milho deve atingir recorde da série da Conab, com 29,45 milhões t, incremento de 12,4% sobre o ano passado e o algodão, cuja oferta da pluma deverá crescer 36,3% em relação à safra já expressiva do ciclo anterior e somar em 2019, 1,75 milhão de t. Das principais culturas, somente a soja teve redução anual, -0,5%, totalizando 32,13 milhões de t. 

Campanha de Vacinação contra a gripe inicia nesta segunda

Até o dia 18 de abril, serão priorizadas crianças, gestantes e puérperas, grupos mais vulneráveis

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza começou em todo o país nesta semana, porém, em Tangará da Serra, a imunização inicia na segunda-feira, dia 15 de abril. A informação de como será o trabalho a partir da próxima semana foi repassado na manhã desta sexta-feira, 12, em coletiva à imprensa.

De acordo com a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Juliana Herrero, neste primeiro momento – de 15 a 18 de abril, a vacina estará disponível somente a três grupos do público-alvo: crianças de seis meses a menores de seis anos, gestantes em qualquer idade gestacional e puérperas (mulheres até 45 após o parto). “É muito importante ter essa informação, para que os outros do grupo alvo não procurem as unidades na semana que vem, porque nós não faremos exceções”, alerta a responsável, ao ressaltar a mudança na faixa etária do público infantil, que foi ampliada. “Até ano passado só podíamos vacinar de seis meses a menores de cinco anos. Esse ano o Ministério ampliou essa faixa etária para menores de seis anos. Então todas as crianças que não completaram ainda seis anos entram no grupo da vacinação e tem o direito de tomar a vacina”.

A partir do dia 22 de abril, a vacinação contra influenza se estenderá também aos demais públicos-alvo da campanha, que são: trabalhadores de saúde; povos indígenas; puérperas; idosos (a partir dos 60 anos); professores, pessoas portadoras de doenças crônicas e outras categorias de risco clínico, população privada de liberdade, incluindo adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medida socioeducativa, e funcionários do sistema prisional, além das gestantes e crianças de seis meses a menores de seis anos (5 anos, 11 meses e 29 dias).