Pavimentação de trecho da Avenida Brasil até anel viário começa segunda-feira

Terá início nesta segunda-feira (26.09) a pavimentação do trecho restante da Avenida Brasil até o anel viário, nas imediações da Vila Alta V e Jardim San Diego. A confirmação é do prefeito em exercício Miguel Romanhuk (DEM).

Os recursos para as obras, na ordem de R$ 2,367 milhões, são oriundos de emenda parlamentar do deputado federal licenciado Eliene Lima (PP), que atualmente responde pela Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia.

O prefeito Miguel Romanhuk foi à capital nessa sexta-feira (23.09) para assinar o contrato das obras e confirmar a ordem de serviço. Segundo Romanhuk, os trabalhos iniciam na segunda-feira, com as medições.

Autor: Assessoria
Fonte: Gabinete do Executivo

Despesa mensal do município baixa dos R$ 7 milhões pela primeira vez no ano

A situação financeira do município ainda inspira cuidados, mas os números do mês de agosto representaram um alento ao município de Tangará da Serra no que se refere ao equilíbrio das contas públicas. O que ocorre é que pela primeira vez, neste ano, os empenhos somaram menos de R$ 7 milhões ao mês, enquanto as receitas retomaram a curva ascendente.

Os números não chegam a ser motivo de comemoração, já que as finanças da municipalidade ainda se apresentam problemáticas, com as despesas levando vantagem em relação às receitas em função da queda na arrecadação e da retração na economia. Porém, o prefeito Miguel Romanhuk (DEM) já vê a situação com mais otimismo. “Conseguimos cortar gastos e as receitas começaram a crescer. Ainda estamos longe do equilíbrio, mas com austeridade vamos equilibrar as contas até o final do ano”, disse o chefe do Executivo.

Os demonstrativos das contas do município apontam curvas ascendentes nas receitas e redução nas despesas. Para se ter uma idéia, a média mensal das despesas correntes do município de janeiro a agosto é de R$ 8,3 milhões contra uma média mensal de receita corrente líquida de R$ 6,95 milhões. Na média, a diferença negativa é de pouco mais de R$ 1,3 milhões.

No mês de agosto, as despesas verificadas pelo somatório dos empenhos montam em R$ 6,85 milhões, ante uma receita corrente líquida de R$ 6,7 milhões. O déficit inferior a R$ 200 mil, segundo o secretário municipal de Fazenda, Arielso da Guia e Cruz, deverá se converter em superávit neste mês de setembro. “Temos uma expectativa de recebimento de débitos da dívida ativa e a procura tem sido muito boa”, disse Arielso, que espera arrecadar ao menos R$ 3 milhões com a campanha de regularização de débitos da dívida ativa lançada recentemente pela Prefeitura.

NÚMEROS – Depois de um primeiro trimestre preocupante em termos de arrecadação, os cofres do município ganharam impulso entre abril e junho em virtude de incrementos verificados no IPTU, no FPM (Fundo de Participação dos Municípios) e no ICMS. A diferença foi acentuada, com praticamente R$ 6 milhões de diferença entre o primeiro trimestre (R$ 18,25 milhões) e o segundo (R$ 24,16 milhões).

A arrecadação, porém, voltou a sofrer queda a partir de junho, quando a receita corrente líquida do município foi de R$ 6,5 milhões. Contudo, em agosto já houve um pequeno crescimento, com um total arrecadado de R$ 6,7 milhões.

Receitas à parte, o otimismo da administração cresce com a redução das despesas empenhadas a partir de junho. Depois de verificar uma despesa superior a R$ 8,2 milhões em maio, verificou-se uma redução gradativa nas despesas correntes nos três meses seguintes, com R$ 7,7 milhões em junho, R$ 7,1 milhões em julho e R$ 6,8 milhões em agosto. “Nossa meta é reduzir ainda mais as despesas, na medida do possível, e aumentar a arrecadação. Temos boas informações sobre a campanha de recebimento dos débitos da dívida ativa e acreditamos que teremos bons resultados”, concluiu o prefeito Miguel Romanhuk.
 
Assessoria c/Sefaz