Prefeito edita novo decreto alterando funcionamento do comércio em Tangará

O prefeito de Tangará da Serra, Vander Masson (PSDB) editou novo decreto na noite desta sexta-feira, 05, promovendo alterações no horário de funcionamento do comércio local em virtude da pandemia do novo Coronavírus. Com as mudanças estabelecidas pelo chefe do Executivo, o novo documento flexibiliza os horários em relação ao decreto 105/2021, editado anteriormente.

Dessa forma, de acordo com o decreto 113/2021, de segunda-feira à domingo fica autorizado o funcionamento do comércio local das 5h às 22h. A restrição de circulação de pessoas através do toque de recolher passa a valer das 23h às 5h.

Governo de Mato Grosso estende horários para supermercados e restaurantes

Estabelecimentos que vendem alimentos podem funcionar até às 19h no sábado; restaurantes até às 14h no final de semana

O Governo de Mato Grosso alterou as medidas restritivas contra o contágio da covid-19 e estendeu os horários de funcionamento permitidos para supermercados nos sábados e para restaurantes aos finais de semana.

As alterações do novo decreto serão publicadas em edição extra do Diário Oficial desta sexta-feira (05.03). As medidas restritivas começaram a valer nesta quarta-feira e têm validade de 15 dias.

De acordo com o novo decreto, os supermercados e estabelecimentos que vendem produtos alimentícios poderão ficar abertos nos sábados até às 19h, “vedado o consumo de bebidas alcoólicas no local”. Antes, a permissão desse ramo nos sábados era das 5h às 12h.

Wellington propõe emendas ao Orçamento da Marinha para atender ribeirinhos do Pantanal

Senador diz que os ribeirinhos foram os mais afetados com os incêndios florestais que devastaram 4 milhões de hectares do bioma.

O Orçamento da Marinha do Brasil deverá ganhar reforço para que a corporação possa avançar no atendimento médico e ambulatorial da população ribeirinha que habita o Pantanal de Mato Grosso. A proposta foi apresentada à Comissão Mista de Orçamento pelo senador Wellington Fagundes (PL-MT), líder do Bloco Parlamentar Vanguarda. Em duas emendas, deverão ser incorporados ao orçamento anual das operações navais R$ 810 mil.

Ao defender a aprovação da emenda, Wellington Fagundes citou o período crítico que vive o bioma. Um dos maiores problemas atuais é a ‘decoada’, fenômeno natural de deterioração da qualidade da água dos rios e lagoas marginais do Pantanal. No ano passado, em função de forte estiagem, incêndios florestais devastaram 4 milhões de hectares de vegetação.

Operação da PM atua nos 141 municípios de MT para conter aglomerações

Nas duas primeiras noites, a PM dispersou 340 aglomerações, incluindo festas clandestinas

A Operação Dispersão IV, desencadeada pela Polícia Militar na quarta-feira (03.03), em cumprimento ao decreto 837/2021, leva às ruas diariamente mil policiais e 420 viaturas.

Nas duas primeiras noites, a PM dispersou 340 aglomerações, incluindo festas clandestinas. Também abordou 6.100 pessoas em descumprimento das medidas restritivas de circulação, das quais 43 foram conduzidas para delegacias.

Senado aprova PEC que garante auxílio; Wellington tenta mais recursos ao Fundeb

Senador mato-grossense apresentou emenda para transferir saldo financeiro para conta do Fundo que financia a educação.

O Plenário do Senado concluiu nesta quinta-feira, 4, a votação da PEC Emergencial, que permite ao Governo Federal pagar o auxílio emergencial em 2021 por fora do teto de gastos do Orçamento e do limite de endividamento da União. O valor, a duração e a abrangência do novo auxílio ainda serão definidos pelo Executivo. Foram 62 votos a favor do texto-base no segundo turno, mesmo número de votos da primeira etapa de votação.

Líder do Bloco Parlamentar Vanguarda, o senador Wellington Fagundes (PL-MT) fez questão de destacar que o entendimento entre Governo e oposição retirou do texto dispositivo que acabava com a vinculação de investimentos para saúde e educação. “Era uma grande preocupação nossa a retirada dessa vinculação. Felizmente houve entendimentos e ficou assegurado o que está na Constituição” – frisou Fagundes.