Mais de mil pessoas são abordadas e 410 veículos checados durante primeira semana de atuação

O saldo de ocorrências atendidas pela nova unidade entre os dias 15 e 21 deste mês incluem ainda apreensão de 100 porções de droga, seis prisões em flagrante e três mandados de prisão cumpridos.

Em uma semana de atuação, mais de mil pessoas foram abordadas por policiais da nova unidade especializada da PM, a 20ª Companhia de Força Tática. O saldo de ocorrências atendidas entre os dias 15 e 21 foram: 410 veículos checados e quase 100 porções de entorpecentes apreendidos, além de seis prisões em flagrante e três mandados de prisão cumpridos.

Atuando de forma independente desde quinta-feira (21), antes em período de estágio, junto ao Batalhão de Ronda Tático Metropolitana (Rotam), os policiais fecharam uma boca de fumo no bairro Praeirinho, em Cuiabá, apreendendo 350 gramas de pasta base, uma balança e R$ 7 mil em notas e uma pessoa foi presa, L.R.S.S. No mesmo dia, os policiais realizaram a checagem de 36 veículos e 92 pessoas abordadas, uma pessoa foi presa por tráfico de drogas.

As ações da Força Tática está sob o comando direto do tenente-coronel André Avelino Neto, que destaca que a unidade é o termômetro operacional do comando e vem para motivar a tropa com aumento dos índices de produtividade. “Viemos para somar com um trabalho diferenciado de abordagem com a proposta de atuar de maneira mais forte na repressão à violência, com treinamento e armamento diferenciados”.

O comandante geral da Polícia Militar, coronel Jonildo José de Assis, explica que a Força Tática tem papel suplementar de apoio às unidades que fazem o policiamento de rotina. Também atua de maneira planejada, a partir de dados estatísticos e análises criminais, fazendo intervenções pontuais e precisas na repressão e controle dos índices criminais. 

“A unidade vem para aumentar a ostensividade, ou seja, a presença de policiais nas ruas, fazendo abordagens e checagens de pessoas e veículos. Já estamos sentindo os efeitos das ações da Força Tática”, completa.

Vinculada administrativa e operacionalmente ao 1º Comando Regional de Cuiabá, a 20ª Cia tem como área operacional a Capital mato-grossense, reforçando o policiamento dos cinco batalhões, e outros quatro municípios da Baixada Cuiabana: Chapada dos Guimarães, Nova Brasilândia, Santo Antônio de Leverger e Barão de Melgaço.

Maricelle Lima Vieira | PMMT

Projeto "Prevenção começa na Escola" do MP de Mato Grosso terá ações em Tangará

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da Procuradoria de Justiça Especializada em Defesa da Criança e do Adolescente, iniciou na última quinta-feira, 21, em Cáceres, roteiro de apresentações para convidar e sensibilizar as secretarias municipais de educação e demais atores da rede de proteção à criança e ao adolescente a apostarem na prevenção como instrumento de esclarecimento sobre temas como abuso sexual, bullying, racismo, entre outras práticas. A iniciativa prosseguirá pelo Estado, inclusive Rondonópolis está no roteiro.

O que é? O que fazer? Onde buscar ajuda? São algumas das respostas que a peça teatral da Cia Vostraz pretende responder. “O projeto é amplo e está aberto para que a comunidade escolar participe e defina qual temática deve ser abordada. Já fizemos um trabalho em Cuiabá, Várzea Grande e agora a iniciativa seguirá para o interior do Estado”, ressaltou o titular da Procuradoria Especializada na Defesa da Criança e do Adolescente, procurador de Justiça Paulo Roberto Jorge do Prado.

Segundo ele, depois de Cáceres, o “Projeto Prevenção Começa na Escola” irá para Diamantino, Alta Floresta, Sinop, Sorriso, Querência, Água Boa, Barra do Garças, Tangará da Serra, Juína, Primavera do Leste e Rondonópolis. A ideia é trabalhar a prevenção através do teatro, da música, do esporte e vídeos.

“Pretendemos com esta iniciativa abordar todas as temáticas do dia a dia da criança, para que os assuntos sejam debatidos de forma preventiva. Queremos que a abordagem se estenda para qualquer tema que a comunidade escolar, estudantil, pai e promotores entendam ser conveniente. É aberto ao promotor desenvolver no seu espaço, no seu contexto, questões como drogas, suicídio, trabalho infantil, violência doméstica, abuso sexual, relação pais e filhos, entre outros assuntos”, explicou o procurador de Justiça.

Fonte: Redação A Tribuna

Museus municipais têm até 30 de abril para preencher Formulário de Visitação Anual

Os museus públicos municipais de todo Brasil têm até o dia 30 de abril para preencher o Formulário de Visitação Anual (FVA) referente à contagem de público que compareceu em museus no ano de 2018. O documento já está disponível no site da Rede Nacional de Identificação de Museus (Renim).

De acordo com o Decreto 8.124/2013, que regulamenta o Estatuto dos Museus – instituído por meio da Lei 11.904/2009 –, compete aos museus públicos e privados enviar ao Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM) dados e informações relativas às visitações anuais.

O passo a passo explicando como fazer o preenchimento do formulário também pode ser acessado no site do Renim.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), saber quantas pessoas vão aos museus deve ser percebida como uma atividade fundamental para estabelecer melhorias progressivas da experiência museal, da qualidade do funcionamento da instituição e do atendimento às necessidades dos visitantes.

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) orienta que, caso ocorra algum problema no momento do preenchimento do FVA, relativo a problema técnico na plataforma virtual, os gestores devem informá-lo, a fim de solucionar a questão. Essa informação pode ser enviada para o e-mail cpai@museus.gov.br.

Conheça também a Resolução Normativa 3/2014, que dispõe sobre a regulamentação quanto à obrigatoriedade do envio ao Instituto Brasileiro de Museus do quantitativo anual de visitação dos museus e estabelece outras providências.

Para mais esclarecimentos, o gestor local pode entrar em contato com a área técnica de Cultura da CNM por meio do e-mail cultura@cnm.org.br ou pelo telefone: (61) 2101-6053.

Fonte:Agência CNM

Frente parlamentar será criada em defesa das Apaes

Proposta do deputado Paulo Araújo (PP) é atuar na integração e inclusão social das pessoas com deficiência e apoiar essas entidades.

Foi apresentado, na sessão matutina da última quarta-feira (20), na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), um requerimento para a criação da Frente Parlamentar em Defesa da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae). A proposta é atuar na integração e inclusão social das pessoas com deficiência e apoiar essas entidades.

Autor do requerimento, o deputado estadual Paulo Araújo (PP) destacou que a frente parlamentar deve atuar em parceria com as Apaes no apoio aos deficientes e às suas famílias, como já acontece em outros estados. "As Apaes têm um papel importante do ponto de vista da inclusão da família. A pessoa portadora de deficiência, na sua grande maioria, é carente de recursos financeiros, e do intelectual também. Então, o que que nós como parlamentares vamos fazer é criar mecanismo para garantir melhores condições à Associação para cumprir sua missão institucional”, disse Araújo.

O parlamentar ressaltou ainda que a instituição passa por um momento difícil no que tange ao financiamento público. “O governo suspendeu o financiamento com todas as Apaes que, só em Mato Grosso, funcionam em 68 municípios, o que os mantém em uma dificuldade momentânea financeira e estrutural, por isso a relevância da criação dessa frente”, concluiu Paulo.

A Frente Parlamentar em Defesa das Apaes de Mato Grosso terá ainda como objetivo realizar um amplo debate entre especialistas e a sociedade em geral, sobre a inclusão social, além de buscar melhores condições para que a Associação possa cumprir sua missão institucional.

Fonte: NAJYLLA NUNES / Gabinete do deputado Paulo Araújo

Maluf é aprovado para a vaga de conselheiro do TCE

Em sessão extraordinária, o nome do deputado Guilherme Maluf teve 13 votos favoráveis para assumir a vaga

Em sessão extraordinária na tarde desta quinta-feira (21), os deputados estaduais de Mato Grosso aprovaram, em plenário, a indicação do deputado Guilherme Maluf (PSDB), para a vaga de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE). Foram 13 votos favoráveis a Maluf, oito contrários e duas abstenções.

A votação em plenário encerrou um processo que se iniciou ao final de janeiro, com a liberação da vaga que estava travada judicialmente desde 2014. A aprovação do deputado Guilherme Maluf ocorreu numa sessão que teve início pouco antes do meio-dia e que foi reservada à apresentação e argüição do parlamentar.

Antes de enfrentar o plenário das deliberações, o deputado Guilherme Maluf também foi o mais votado no Colégio de Líderes, com 11 votos, apenas um na frente do deputado Max Russi (PSB), que também foi um dos indicados para a vaga de conselheiro.

Guilherme Maluf teve direito, logo após a abertura da sessão extraordinária, a 30 minutos de fala na tribuna para defender seu nome. Depois da sua explanação, foi inquirido com perguntas dos deputados. O deputado tucano disse que a Assembleia Legislativa amargou por cinco anos o travamento dessa vaga.

Maluf defendeu uma atuação política dentro do Tribunal de Contas do Estado. De acordo com ele, o TCE tem que ajudar na capacitação técnica nos municípios e não ser um espaço para somente punições. O deputado destacou o rito de escolha, que segundo ele foi o mais democrático possível, lembrou da longa judicialização sobre a vaga, aberta desde 2014 com a aposentadoria de do ex-conselheiro Humberto Bosaipo. 

“A nossa indicação é uma das quatro vagas que a AL tem no TCE. Eu devo ser o quinto deputado a ser indicado para essa vaga, inclusive a mãe da deputada Janaina já colocou esse nome. Nós amargamos ai cinco anos com a judicialização”, pontuou Maluf.

A maioria dos deputados presentes registrou apoio e parabenizou o deputado pela indicação ao cargo de conselheiro. Os deputados Elizeu Nascimento (DC) e Janaína Riva (MDB), fizeram questão de registrar voto contrário à indicação do deputado Maluf, mais desejaram êxito ao parlamentar na nova missão. Agora a resolução aprovada em plenário pelos deputados vai à publicação.

Fonte: FLÁVIO GARCIA / Secretaria de Comunicação Social