Fábio diz que Tangará não enfrenta crise econômica e segue investindo

Fábio Junqueira, prefeito de Tangará da Serra afirma que assumiu a prefeitura quase falida

O prefeito de Tangará da Serra, Fabio Junqueira (PMDB), em seu quarto e último ano de mandato, afirma que vai terminar a gestão de forma oposta de quando assumiu o município. O peemedebista que em 2012 a prefeitura tinha dívida liquidada em mais de R$ 4 milhões, sendo que no caixa só tinha R$ 100 mil. A gestão passada foi administrada por Saturnino Masson (PSDB), atual deputado estadual.

Tido com “pulso firme” à frente da prefeitura, Fábio lembra o município tinha cerca de R$ 20 milhões de resto a pagar. Relata ainda a reduziu de R$ 102 mil para R$ 52 mil os prédios alugados pela prefeitura. “Não tinha dinheiro para abastecer ambulância, maquinários estragados. O que tem que fazer? Agir com pulso firme”, justifica o gestor ao Rdnews.

Acerca da crise econômica, o prefeito garante que os salários estão em dia e que o município tem feito investimentos como pavimentação, saúde, escolas e infraestrutura, assim como renovação do maquinário. “O pagamento da dívida do município está em dívida”, reforça

O prefeito revela que na área da saúde foram feitos mais de 20 Postos de Saúde à Família (PSF). Segundo ele, assumiu a prefeitura com apenas oito. “Retomamos a obra do hospital municipal, que está em fase de acabamento. Ao todo, serão 105 leitos”, relata.

O prefeito espera ainda contribuição do Governo para a área da saúde. Lembra que na contrapartida de R$ 200 reais aos agentes para combate e controle do mosquito Aedes Aegypti, transmissor de doenças como dengue, chikungunya e zika vírus, deveria ser permanente. E não durante quatro meses como comunicou o governador em coletiva, realizada ontem (21), no Cenárium Rural.

Reeleição 

O prefeito afirma que não tem pensado em reeleição neste momento. Explica que em razão da minirreforma eleitoral só será discutido no período das convenções, 5 julho a 20 de agosto. “Não pretendo tumultuar o processo administrativo. Vou analisar ainda as questões familiares. Tenho 60 anos e a vida é curta”, pondera.

Fonte: Tarso Nunes RDNews

Prefeito edita Decreto que regulamenta Zona Azul em Tangará

Decreto foi assinado pelo Prefeito na quinta-feira

Foi editado nesta quinta-feira, 21, pelo Prefeito de Tangará da Serra, Fabio Martins Junqueira, o Decreto número 13 que regulamenta o serviço de estacionamento público rotativo denominado “Zona Azul”, previsto na Lei nº. 1.035, de 16 de novembro de 1994.

Para editar o Decreto o Prefeito levou em consideração a necessidade de ampliar a qualidade de vida e dos serviços prestados aos munícipes, visando alcançar a vontade comum e o interesse público coletivo, finalidade precípua imposta pelo ordenamento jurídico, considerou ainda o crescimento da frota de veículos no Município e a necessidade de mais vagas de estacionamento publico rotativo para os habitantes e visitantes a fim de garantir maior mobilidade e a necessidade de estabelecer regramento para os serviços de estacionamento rotativo em logradouros e vias públicas da cidade.

No decreto regulamentado pelo Prefeito ficou estabelecido que a gestão e a regulação do estacionamento público rotativo caberão ao Município que os exercerá por meio de seus órgãos, mormente pela Secretaria Municipal de Infraestrutura por meio da Superintendência de Transporte Aéreo e Viário, e que no exercício dessas atividades terão como finalidades regular, controlar e fiscalizar, com poder de policia, disciplinar, em caráter normativo, o planejamento, a operação, a exploração, o controle e a avaliação dos serviços, inclusive mediante o estabelecimento dos locais onde serão prestados.

TARIFAS

Ficaram estabelecidas as seguintes tarifas para estacionamento de veículos:

I – tarifa de 30 minutos: R$ 1,00 (hum real) – direito a utilização da vaga por até 30 (trinta) minutos;
II – tarifa de 1 hora: R$ 1,50 (hum real e cinquenta centavos) – direito a utilização da vaga por até 60 (sessenta) minutos;
III – tarifa de 1,5 horas: R$ 2,00 (dois reais) – direito de utilização da vaga por até 90 (noventa) minutos;
IV – tarifa de 2,0 horas: R$ 2,50 (dois reais e cinquenta centavos) – direito a utilização da vaga por até 120 (cento e vinte) minutos;
V – tarifa de pós-utilização: R$ 5,00 (cinco reais).

O pagamento da tarifa será feito diretamente à concessionária, pelos usuários proprietários ou condutores dos veículos.

Fonte: Dieg Soares
Assessoria de Imprensa