MT tem apenas um hospital referência para atender casos de coronavírus

No estado, só o HUJM é a indicação para o tratamento da doença e o MS abrirá licitação para alocar novos mil leitos nos hospitais pelos estados

Diante do cenário de alerta global referente ao novo coronavírus, o Ministério da Saúde (MS) tem reforçado que o Brasil está preparado para atender situações de emergência e que os laboratórios centrais e de referência do país estão aptos para realizar os testes e definir diagnósticos dos casos. Também diante do aumento do número de possibilidades de contaminação, o órgão federal de saúde se mobiliza para manter o controle da situação e passou a informar diariamente sobre as medidas contra o novo agente infeccioso.

O governo, inclusive, garante que já tem preparadas unidades de saúde para o pronto atendimento dos possíveis infectados em vários estados. Em entrevista coletiva realizada na quarta-feira (29), o secretário executivo da pasta, João Gabbardo, destacou que há hospitais de referência que seguirão protocolos. “Temos hospitais de referência, com ampla capacidade de atendimento, que seguem protocolos do plano de contingência alinhado às realidades de cada estado”, disse.

Ainda na quarta, uma lista de unidades hospitalares capacitadas para atender pacientes com suspeitas da doença. Exceto por Roraima, que ainda não contava com um estabelecimento hospitalar definido, todas as demais unidades da Federação estão prontas para atuar em casos de infecção pelo agente. Em Mato Grosso, o Hospital Universitário Júlio Muller (HUJM) é a referência para o tratamento da doença.

Mendes diz que governo reequilibrou contas

Governador Mauro Mendes citou que obras foram retomadas e concluídas na Educação e Saúde

O governador de Mato Grosso Mauro Mendes fez um balanço do período de janeiro de 2019 a janeiro de 2020, em relação às ações realizadas pela atual gestão.

Para Mendes, o cenário encontrado no dia primeiro de janeiro do ano passado era de centenas de obras paralisadas, dívidas equivalentes a 10 megas senas da virada (R$ 3,5 bilhões), salário do servidor público atrasado, além do não pagamento do 13º, viaturas da polícia paradas por falta de pagamento e unidades hospitalares sucateadas.

A situação financeira fez com que uma série de medidas necessárias fosse adotada para consertar o Estado. As medidas aprovadas pela Assembleia Legislativa, ainda no mês de janeiro de 2019, propiciaram que o Estado pudesse controlar o crescimento da máquina pública e reduzisse o seu custo, junto com o trabalho de toda a equipe de secretários e servidores públicos.