Janaina: “Pleito é legítimo, mas não é a melhor hora para greve”

Profissionais da Educação começam movimento grevista a partir da próxima segunda-feira

A presidente em exercício da Assembleia Legislativa Janaina Riva (MDB) afirmou não considerar que este seja o melhor momento para os profissionais da Educação deflagrem um movimento grevista.

A categoria decidiu paralisar as atividades a partir da próxima segunda-feira (27). Eles afirmam que o movimento é resultado das ações do Governo em relação à Revisão Geral Anual (RGA), ao escalonamento salarial e ao descumprimento da lei que prevê a dobra do poder de compra nos salários dos professores.

“O movimento é legitimo, mas na minha opinião não é o melhor momento para uma greve. Lá atrás, quando houve greve no governo Pedro Taques, ele disse que não daria aumento, depois recuou e, ao final, juntou a ira dos servidores e não conseguiu resolver o problema do Estado”, disse ela, em entrevista a TV Band.

O movimento é legítimo, mas na minha opinião não é o melhor momento para uma greve

Na avaliação da deputada, se for necessário, é plausível que o governador Mauro Mendes (DEM) tome uma medida considerada “amarga” neste momento de modo a ter condições de pagar os reajustes de servidores no próximo ano.

Todavia, segundo Janaina, se o governador entender que mesmo a partir de 2020 não conseguirá cumprir as legislações vigentes no Estado e que garantem os reajustes aos servidores, há que se fazer um debate em torno da revogação dessas leis.

“Já disse ao governador que considero legítimo o movimento dos servidores, até porque o não cumprimento efetivo da lei é preocupante porque abre precedente para o futuro. Se existe lei aprovada, temos que discutir as leis que estão ali postas. Tanto a que trata de RGA e a da dobra de compra dos professores. Enquanto houver lei que dê respaldo, não tem como dizer que movimento não é legítimo”, disse ela.

“Se for pra tomar uma medida amarga igual a que o Mauro está fazendo e ser talvez possível o Estado, no ano que vem, estar em condições melhores, atender as leis, ok. Se não conseguir atender, vai ter que revogar. E para isso vai ter que enfrentar o debate. Não dá para fugir do debate”, concluiu a deputada.

Fonte: CAMILA RIBEIRO 
Redação Midia News

Vacinação contra gripe ainda está abaixo da meta em MT


Faltando poucos dias para o fim da campanha nacional de vacinação contra a Influenza, o índice de cobertura vacinal é de 70% em Mato Grosso. Esse percentual, atingido até a última quarta-feira (22), representa a aplicação de 530.789 doses contra a gripe de um total de 859.343 pessoas que compõem os grupos alvos da campanha em todos os 141 municípios mato-grossenses. 

Como o Estado ainda não atingiu a meta prevista de 90%, a Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) alerta tanto a população como as administrações municipais, especialmente, aquelas com baixo índice de pessoas imunizadas. A coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Alessandra Moraes, reforça que as pessoas devem procurar os postos de vacinação mais próximos para serem imunizadas contra o vírus. “Os grupos de riscos devem ser vacinados contra influenza para a prevenção da doença e suas consequências”, disse. 

Fazem parte do grupo prioritário crianças com faixa etária entre seis meses e menos de seis anos; idosos; gestantes; puérperas; professores; portadores de doenças crônicas não transmissíveis; jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas; população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional, indígenas e trabalhadores da saúde. 

De acordo com o órgão estadual, até o dia 20 de maio, os municípios com a pior cobertura são: Alto Boa Vista com 12,29%; Colniza com 22, 53% e Nova Canaã do Norte com 29,62%. Já os três municípios com melhores coberturas são: Tapurah, com 105,02%; Ponte Branca com 103,03% e São Pedro da Cipa com 100,98%. 

A Influenza, também conhecida como H1N1, é uma infecção viral aguda do trato respiratório, com elevada transmissibilidade, podendo ser contraída várias vezes ao longo da vida e surgir de forma mais ou menos grave. Existem vários tipos e subtipos do vírus Influenza, contudo, apenas os vírus A e B causam doença com impacto significativo para a saúde humana. O vírus pode ser contraído durante todo o ano, mas é mais frequente nas estações do outono e do inverno. 

VÁRZEA GRANDE - Para aumentar a cobertura vacinal, algumas unidades de saúde localizadas em Várzea Grande estarão de portas abertas hoje (25). Na cidade, os postos do Programa de Saúde da Família (PSF) do Água Limpa, Policlínica do Parque do Lago, Policlínica do Cristo Rei e as Clínicas de Atenção Primária do Jardim Glória e do Bairro 24 de Dezembro, estarão funcionando das 08 horas às 17h. 

A ação visa alcançar a meta até o término da vacinação prevista para ser encerrada no dia 31 desse mês. O que preocupa a Saúde do município é a baixa porcentagem alcançada por alguns grupos integrantes do público alvo. Do público alvo geral, 41.106 doses já foram aplicadas, o que significa 66.17% do total de 62.123 pessoas a serem vacinadas. Os dados são do último dia 20 deste mês. 

A Gerente da Vigilância Epidemiológica de Várzea Grade, Relva Cristina de Moura, reforça a importância da imunização. “Estamos a quase dez dias do término da campanha e alguns números ainda preocupam. Por isso estamos buscando realizar essas medidas, a fim de alcançar a meta estipulada e manter a nossa população alvo protegida do Vírus da Influenza”, disse. Relva explicou ainda a vacina é eficaz e não provoca reações graves. 

Fonte: Redação Diário de Cuiabá