A pedido de Romer Japonês, JBS/Anhambi se reúne com avicultores

Romer Japonês (PR) reuniu diretores da JBS Anhambi e da Associação dos Avicultores de Tangará da Serra (Avitan) na tarde de quarta-feira, dia 22. O presidente da Câmara Municipal agendou a reunião ainda no primeiro encontro que teve com o presidente da unidade da JBS Anhambi, no início do mês. Segundo Romer, o objetivo da reunião é a abertura do diálogo entre a empresa e os avicultores e o esclarecimento de dúvidas.

“Nós estivemos com o presidente da JBS Anhambi na reunião que foi realizada com o prefeito e com alguns vereadores, quando solicitei que se reunisse com os avicultores. E prontamente ele deixou marcado para hoje (quarta, dia 22), quando veio acompanhado do diretor de fomento, ouviu reivindicações nossas por um preço médio por frango, por maior número alojado por aviário. E a resposta que tivemos é que a empresa irá analisar isso, mas que há perspectivas de melhoras”, afirma o vereador Romer Japonês.

Segundo a associação, atualmente a empresa tem fixado o limite máximo de 12,5 aves por metro quadrado de aviário, quando os avicultores defendem que esse número pode ser ampliado. Além disso, atualmente os avicultores recebem entre R$ 0,50 e R$ 0,60 por frango e reivindicam aumento. 

Após o encontro, Rodrigo Souza disse que é intenção da JBS manter a relação de proximidade que a Anhambi construiu ao longo dos anos com os integrados. Rodrigo confirmou que a JBS irá manter a marca Anhambi e, quanto as reivindicações dos avicultores, afirmou que uma nova reunião deve ser realizada nos próximos meses.

“Com a associação foi a primeira reunião que tivemos e foi positiva. Eles tinham muitas dúvidas e abrimos uma janela para, no detalhe, sanar essas dúvidas e mostrar a empresa e os seus objetivos a médio e longo prazo quanto a questões estratégicas de alocação de integrados, de remuneração e quais os padrões da JBS: como ela dirige sua orientação quanto aos integrados. (...) Falamos para eles os objetivos da empresa na região, que a gente trabalha sim para melhorar condições de ambiência e em muitos casos aumentar o volume de aves fornecidas, num esforço conjunto para a sociedade crescer, a empresa crescer, a cidade crescer e as pessoas crescerem”, disse Rodrigo Souza.

PRÓXIMA REUNIÃO – Segundo Romer Japonês, no encontro ficou definido que em dois meses uma nova reunião será realizada. “O Rodrigo nos deixou tranqüilos e eu, enquanto avicultor e preocupado com os avicultores, fiz questão que eles, através da associação, ouvissem do próprio presidente da unidade da JBS Anhambi, aqui em Tangará da Serra, as informações, os esclarecimentos e a mensagem de que a empresa veio para somar”, concluiu Romer Japonês.

Marcos Figueiró 
Assessoria de Imprensa

Sommavilla sugere aquisição de área para Programa de Desenvolvimento Econômico

Sílvio José Sommavilla (PV) sugeriu esta semana ao Executivo Municipal a aquisição de uma área de terra para a implantação do que chamou de “um audacioso programa de desenvolvimento econômico de Tangará da Serra”. O vereador justificou a proposta afirmando que o objetivo é fomentar a expansão de empreendimentos existentes e estimular a atração de novos empreendimentos para a cidade.

“O fim prioritário é gerar novos empregos e renda”, defende Sommavilla ao explicar que quando o Município oferecer aos investidores reais condições para a aquisição de imóveis, mais empreendimentos serão ampliados e abertos. Os imóveis, diz o vereador, podem inclusive ser utilizados como garantia, se for necessário.

A intenção com a aquisição dessa área, segundo o parlamentar, é a criação de um novo parque empresarial, com política tributária atraente. “Isso se faz necessário no município, pois atualmente [Tangará da Serra] não tem atraído satisfatoriamente os empreendimentos a altura da expectativa e vocação da cidade nos últimos tempos”, lamenta Sommavilla.

O vereador lembra ainda que hoje Tangará se destaca no cenário estadual, chegando a quinta posição em nível populacional. Apesar disso, reclama Sommavilla, a cidade não necessariamente detém essa posição em termos de interesse em investir, o que exige medidas inovadoras por parte do poder público municipal.

Marcos Figueiró 
Assessoria de Imprensa