Vereador Luiz Henrique volta a sugerir diálogo entre Sindicato dos Servidores e o Executivo

A fala foi feita em entrevista ao programa O Povo no Rádio da Pioneira nesta 6ª-feira (07). O presidente do Legislativo afirmou que o clima que está instalado no município não agrada. Ele lembrou que há 10 dias havia sugerido empenho no diálogo porque estava ciente da situação. “Naquele momento quando houve manifestações na Câmara por parte de servidores descontentes com a reposição de 5% oferecida pelo projeto de lei do Prefeito e em função do acordo anterior de que seria de 7% esta reposição, já vimos que o clima estava complicado e sugerimos o diálogo”, lembrou o vereador.

Ele disse que esperava que um novo compromisso fosse fechado entre o Sindicato e o Executivo, cada um respeitando as dificuldades do outro. “Eu acreditava nisso, inclusive sugeri isso porque, de forma alguma, queremos que greves sejam instaladas ou que elas perdurem. São direitos previstos na legislação para os servidores, manifestarem-se por meio da greve, mas o que queremos é que todos estejam trabalhando satisfeitos e que o município possa prestar os melhores serviços. Foi o que não ocorreu”, declara Luiz Henrique.

BUSCA POR SOLUÇÕES – A solução para o impasse da greve que tem causado inúmeros transtornos à população tangaraense passa necessariamente pelo diálogo. “Volto a dizer, o problema já está instaurado e nós precisamos buscar soluções. E não existe outra solução que não a de sentar novamente Prefeito e Sindicato para recompor o compromisso que foi firmado lá atrás e que não pode ser cumprido por parte do prefeito. É importante que ele venha para o Sindicato e reconsidere novos ajustes. Eles precisam discutir isso”, reafirmou o presidente do Legislativo.

ÂNIMOS EXALTADOS E INSEGURANÇA – O presidente da Câmara destacou que é preciso empenho para evitar o clima de insegurança na cidade. “Não podemos criar um clima de insegurança jurídica, de insegurança institucional, de insegurança inclusive de todos os envolvidos. Ainda que os ânimos estejam exaltados nós precisamos fazer com que cada um respeite o direito de cada um. Não podemos admitir que haja nenhum tipo de violência. Os servidores precisam se manifestar pacificamente, cumprir com o que a lei obriga, respeitar as pessoas que estão trabalhando, até porque a própria imprensa ao cobrir o fato está publicando suas insatisfações. É importante informar, até para tranqüilizar a população”, diz o vereador.

A Câmara de Vereadores tem sido procurada por populares buscando informações sobre o funcionamento ou não de escolas e setores de atendimento na área da saúde. “A preocupação é geral, é nossa também, mas a única saída realmente é o prefeito que está em viagem, voltando, sentar com o sindicato, desligarem os celulares e discutirem a questão. Inclusive a Câmara está à disposição, para acompanhar, para mediar, para construir este acordo, porque o que importa é o melhor serviço ser prestado à população e que os servidores possam também ser ouvidos. Sabemos que o maior patrimônio das empresas é o capital humano e ele bem motivado, bem qualificado e recebendo em dia vai prestar o melhor serviço”, finaliza Luiz Henrique.

A GREVE - A greve desencadeada pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Tangará da Serra nesta quinta-feira (06) tem sido pano de fundo para muitos acontecimentos, entre os quais a agressão a uma equipe da Rede Record, durante manifesto público em frente à Praça da Prefeitura. Enquanto algumas escolas já informam à população o retorno à normalidade nas atividades a partir de segunda-feira (10), o Sindicato mantém a greve por tempo indeterminado e a expectativa é de que o Executivo Municipal peça na Justiça a ilegalidade do movimento conforme já adiantado pelo Prefeito Fábio Junqueira que se encontra em viagem a Brasília devendo retornar no final de semana.

Fonte: Redação DS

Unidades de Saúde passarão por reformas e ampliações

Oito unidades de saúde de Tangará da Serra passarão por reformas e ampliações a partir dos próximos dias. A informação foi repassada ontem pela Secretária Municipal de Saúde, Helena Maria Cavalini, ao destacar que serão mais de R$ 1,2 mi investidos, sendo desses R$ 400 mil oriundos do Ministério da Saúde (recurso disponível na conta desde 2011) e R$ 800 mil de contrapartida do município.

“O objetivo do município com essas ampliações e reformas é tratar o cliente SUS e a população de Tangará da Serra com respeito, qualidade, carinho e mostrar que o que é público tem que ser bom”, destaca, ressaltando que o trabalho deve iniciar já na próxima semana, assim que a mudança do prédio das unidades ocorrer. “Se nada ocorrer, semana que vem iniciaremos o trabalho de reforma e ampliação. Mas tudo será avisado com antecedência para a população, dessa mudança de local para atendimento”.

Passarão por uma total ampliação os postos satélites do Alto da Boa Vista, Santa Lúcia e Progresso. “Após isso iniciaremos com o pedido para transformar esses postos em Unidades de Saúde da Família, representando assim um aumento de serviços e atendimento a população”. Já as unidades da Vila Nazaré, Araputanga, Tangará II, Jardim Presidente e Cohab Tarumã passarão por uma reforma completa, além de pequenas ampliações.

Somente da unidade básica de saúde do Progresso, por exemplo, a ampliação será o dobro da existente. Naquela localidade o prédio atual tem 110 metros quadrados e ganhará uma área de 142,63 metros, totalizando 253,58 metros quadrados após o término da obra.
Ainda de acordo com a secretária, o prazo para término da obra será de 120 dias, após recebimento da ordem de serviço. Porém, há um impasse quanto a mudança dessas unidades para um novo local durante esse período, devido ao período de vacinação contra a paralisia que se inicia no próximo sábado. “Por isso gostaríamos de, desde já, pedir a compreensão da população para esse momento de mudança, que é de bastante preocupação para nós, e que assim possam estar colaborando e entendendo que essa mudança de local de atendimento será por apenas alguns meses até que possam voltar para uma unidade de saúde mais arrumada e pronta para atender a todos”.

Três novos projetos foram protocolados no Ministério

Além da preocupação quanto ao início dos trabalhos de reforma e ampliação nessas oito unidades de saúde, a Secretaria Municipal de Saúde de Tangará da Serra trabalhou ainda nesta semana para finalizar e protocolar três novos projetos no Ministério da Saúde.

Segundo a Secretária Municipal de Saúde, Helena Maria Cavalini, o município pleiteia junto àquela pasta recursos para a construção de duas novas unidades de saúde para atender a população dos bairros Morada do Sol e Altos do Tarumã, e ainda recursos para a ampliação da Unidade de Saúde da Família do Jardim Santa Isabel.

“Os três projetos já foram protocolados e estamos agora na espera da aprovação”, disse a secretária, destacando que esses são planos para serem executados em 2014. “Nosso objetivo é que até 2016, 70% da cidade já esteja coberta com as unidades de saúde”.

Além desses trabalhos na área da saúde, o município está ainda trabalhando na conclusão do Centro Cirúrgico do Hospital Municipal Arlete Cichetti de Brito (antiga Unidade Mista) e com a implantação da UPA no mesmo local.

Fonte: Redação DS

Dia dos Namorados: comércio ficará aberto até as 18h deste sábado em Tangará da Serra

O comércio de Tangará da Serra ficará aberto até as 18h deste sábado. O objetivo é fazer com que os casais de namorados não esqueçam a data comemorativa [12 de junho].

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Tangará (SINCOVATAN), Pedro Galli, convida a população para visitar o comércio neste sábado e principalmente os casais, para comprar o presente da data comemorativa. “Como o comércio ficará aberto até as 18h não vai ter desculpa do namorado ou namorada comprar o presente”, fala.

Em datas comemorativas, de acordo com o presidente, o comércio prepara seu estoque e como é de praxe todo o ano tem a permissão de abrir seu estabelecimento aos sábados após o meio dia. “A convenção trabalhista feita entre o Sindicato dos Empregos no Comércio em Geral (Secgts) e o Sindicato Patronal, são acordos que fazemos para que aumente a renda do funcionário e que o patrão também tenha um movimento extra durante o mês e ano. E ainda possamos atender o pessoal de toda a região; que é rica e trabalhadora” frisa.

Fonte: Redação RP